Subscribe:

terça-feira, janeiro 04, 2011

CAROLINA



Carolina, terminara de tomar banho. Saiu enrolada na toalha, com o pensamento longe. O espelho estava embaçado pelo vapor da água quente, escreveu seu nome e por atenção aos mínimos detalhes, reparou que as unhas pintadas de vermelho já estavam descascando. Não ligou para o fato.

Seguiu para o quarto na ponta dos pés, afim de não molhar o chão, pegou o desodorante aerosol e se sentiu em um comercial, digamos assim. Colocou a calcinha e o sutiã e sentou-se na cama. Olhou para sí mesma num tom de desacordo, mas acabou concordando com o espelho, de que ali residia uma mulher fantástica.

Ainda sentada na cama, pegou as meias pretas e vestiu-as com cuidado para não desfiar, colocou o vestido, igualmente negro e mais uma vez, olhou no espelho.

Agora arrumava os longos cabelos e fazia uma maquiagem um pouco mais dramática que o normal, colocou os óculos escuros, que cobriam metade do seu rosto, trancou a porta e saiu.

O carro já estava na porta, entrou, sem mais delongas disse ao motorista:

-Siga para o cemitério, por favor, o mais rápido possível.

Olhava pela janela com um ar fúnebre, porém feliz, e pensava: "Enfim aquele escroque morreu, já estava na hora mesmo".

E quando pensou, um leve sorriso tomou sua face, olhou pelo retrovisor e o motorista estava a observando. Tentou disfarçar e puxou um assunto:

-Em horas como essa, devemos sempre nos lembrar de momentos bons, não é mesmo?!
-É sim. (falou o motorista, num tom irônico, acima do que ela mesma poderia usar)

Chegaram.

Desceu do carro, sentindo-se superior à todos que estavam ali. Acresce dizer que chovia, como em todo "bom" enterro. Ficou afastada da família, que nunca gostou dela. Passou o enterro todo, pensando em como aquilo tudo estava demorando e a que horas poderia sair dali. O padre falava por minutos intermináveis.

Enfim, o caixão foi descendo à terra. E em um breve momento de sensatez, uma lágrima rolou a face fria de Carolina, logo tratou de limpá-la, retirou-se. E voltou a ter sua vida normal, assim como era antes.


4 comentários:

Guilherme disse...

Poxa como você escreve bem , aliás há muitas pessoas que escrevem bem no mundo dos blogs você com certeza e uma dela parabens! Adorei esse texto, CArolina...

Rafael Queiroz disse...

nossa que interessante, o texto tá ótimo!

carolina... me chamou a atenção, rs.

gostei da descrição e etc.

Macaco Pipi disse...

QUE SEXY!

Francorebel disse...

Quanta coisa no ar... quem foi enterrado, qual relação o morte e a moça tinham?... gosto dessas incertezas que se transformam em algo novo e diferente, em 1001 possibilidades de entendimento, simplesmente pela infinita liberdade e abertura na hora de escrever.

Nota 10.

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •