Subscribe:

terça-feira, março 15, 2011

POEMA VAZIO



Vagando e divagando
Por linhas vazias
De páginas em branco
Procuro veemente
Algo para descrever-lhes.

Cansei e parei de procurar por aqui
Por isso proponho-vos
Um poema vazio
Vazio de exatidão
Vazio de rimas
Vazio de palavras bonitas
Talvez até vazio de beleza para alguns
Mas para quem conhece o brilho seco de uma mente perturbada
Jamais dirá que estou sendo vazia de sentimentos
Enquanto vos preencho essas linhas azuis de caderno.

O que se tem a dizer
Não foi dito.
Foi calado
Foi censurado.

O que se tinha pra ver
Já foi apagado
E o que há de se entender
Não necessita explicação.

Como o uso retórico de uma frase qualquer
Não necessito perguntas
Nessecito respostas
Sou respostas.

Sou uma peça torta
E mal encaixada
De um quebra-cabeças sem fim
De um quebra-cabeças de espiral.

Vivo sem ter meios
Escrevo sem ter condições
Sinto sem ter medo
E ouço...ouço...ouço o grito do poema vazio

(Tamires Alci)

2 comentários:

Francorebel disse...

Pode ser vazio de tudo, menos de beleza e de profundidade.

Mexendo com as minhas emoções, como sempre.

Bravo!

F.

Fabi disse...

respostas é sempre melhor que perguntas... e viver sem meios é algo tão excitante e divertido.

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •