Subscribe:

quinta-feira, maio 26, 2011

TEMPESTADE TROPICAL

Não consigo restringir a minha maneira de viajar por outros espaços
Por outros devaneios...
Não sei se posso
Não sei se creio.


Se crio, recrio, destruo e remonto
E mais meu puro eu
Eu mudo minha forma de pensar
Eu mudo minha forma de falar
Eu mudo as minhas roupas e o meu cabelo
E continuo sendo eu
Uma espécie de tempestade tropical
Que passa forte, destrói tudo
E quando se contenta. Pára.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Metamorfose Ambulante - Raul Seixas

6 comentários:

Natália disse...

O que nós mesmos construímos nós destruímos. Assim como o tempo.
A diferença é que o tempo não pára (que Cazuza perdoe o meu mal uso)

K Escritora disse...

Bacana. Gostei ^^

Any Brasil disse...

adorei.
trendluxo.blogspot.com

@iamvictor_ disse...

Adoro seu blog pelo fato de ter conteúdo e o desgin ser maravilhoso

www.Mundodse.com disse...

Bastante interessante.

"Mudamos e mudamos, de todas as formas imaginaveis mas ainda somos nós mesmos..."

Abraço. ;D

Karla Hack dos Santos disse...

Só com a tempestade, com a renovação partindo do recomeçar é que crescemos!

;D

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •