Subscribe:

sexta-feira, julho 15, 2011

O VÉU

E se pensar que tempestades e ventanias 
Irão destruir minha estrada
Está desperdiçando seu tempo
Porque hoje sou só eu e mais nada.


Nenhuma pedra no meu caminho vai se prostrar
Nenhuma espada, meu sangue irá derramar
E mesmo que eu não tenha asas
Ainda assim, conseguirei voar.


Não importa que digam
Que sou eu uma alma errante
Nos meus delírios continuo sã
Continuo distante.


Distante da corja (des)humana
Insana
Tonta
Cruel
Que rasga crianças, como se rasgassem um véu.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora:Perfeição - Legião Urbana

4 comentários:

J.Game. disse...

Nossa belo texto muito bom mesmo.
Estou seguindo.
Comenta e segue o meu????:::

http://espacoxboxbr.blogspot.com/

Karla Hack dos Santos disse...

Esta corja (des)humana é o que mais incomoda, faz querer fugir...

Belos versos!

;D

Francorebel disse...

Distante da corja (des)humana
Insana
Tonta
Cruel
Que rasga crianças, como se rasgassem um véu.

E eles são humanos, assim como o que fazem, embora não pareça.

Christian Paz disse...

Muito bom !

Uau !

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •