Subscribe:

domingo, dezembro 18, 2011

ATRAI

Eu vou mudando
Eu vou tentando
E me moldando.


Sem querer
Sem explicação
Sem razão em ser.


Vou atravessando ruas de pedra
Enquanto a chuva cai
Ela molha os meus lábios
Isso me atrai.


É feito um imã
Da janela do ônibus da pra ver
A fábrica ao fundo da cidade
Até quando o sol nascer
A fumaça sobe pela chaminé
E rompe o céu cor-de-rosa
É quase amistosa.


Eu já me acostumei com os ecos dos becos
Com o barulho dos ratos
Eu já não me importo se sujar meu sapato.


A calçada que sobe a rua
É a mesma que desce
E talvez, isso nem tenha feito sentido.


É a direção
Do horizontes
Dos montes
Do oceano
Que me atrai
E que me leva dessa vida por engano.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Someone Like You - Adele

1 comentários:

Marcus Alencar disse...

Interessante, é como se o vento nos levasse para onde quisesse, seja as nossas memórias ou sensações desse mundo. Pelo menos, é o que essas palavras me passaram.

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •