Subscribe:

quinta-feira, março 31, 2011

AS COISAS JÁ NÃO ERAM AS MESMAS





Enquanto se banhava, a água quente fazia fluir seus pensamentos...Eram quatro da tarde de uma quinta-feira de inverno. Olhava pela janela enorme que pegava toda a extensão da banheira, olhava tudo do alto do 15º andar. A chuva fina estava lavando as vidraças dos outros prédios.
   A mão direita mantinha-se imóvel, segurando a borda da banheira., a mão esquerda segurava um cigarro..Ou melhor, MAIS um cigarro. Estava ali, naquela posição quase inerte, há uns 25 minutos. Não importava. Ele não tinha mais nada pra fazer mesmo. Sua vontade era até de sair dali, mas seu corpo não respondia. 
   Na sala havia uma garrafa de vinho sobre a mesa de centro, um copo meio vazio, um cinzeiro, algumas revistas velhas, que por sinal foram deixadas por Joane, já que era só ela que as comprava. O ambiente inteiro estava quase claro, dava pra ver os reflexos metálicos de uma colt sobre o sofá. No rádio tocava uma canção gradual à tristeza e depressão de toda aquela cena retrô-dramática.
   Levantou-se da banheira, colocou suas roupas, caminhou até a sala e sentou no sofá. Completou o copo e bebeu-o até deixá-lo novamente meio vazio. Olhou para a colt que estava ao seu lado, pegou-a, e disparou contra a porta que há alguns instantes, levemente se abriu. Havia atirado em Joane. Sua amada.


-Porquê, querido?
-As coisas já não eram as mesmas....Sinto muito.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Lonely Day - System Of A Down

quarta-feira, março 30, 2011

ENTRELINHAS

Um argumento estúpido 
Sobre como tudo parece quase...
Quase...
Real
Irreal
Surreal.


Já não somos as mesmas pessoas
Já não estamos nos mesmos lugares
Já não temos os mesmos pensamentos
Mas os mesmos, continuam sendo mesmos.


O sol está encoberto
As nuvens carregadas
Mas a chuva não cai
Não acontece nada
Minha solidão é quase depreciativa.


Já não tenho a mesma beleza nos versos
Já não me decepciono como antes
Por mim, deixo estar como está.


Lá no fundo do armário estão guardadas 
As minhas novas antigas lembranças.


Eu sei que você não pode acreditar em mim
Eu sei que nem sequer gosta de ler as entrelinhas
Se é que sabe onde estão as minhas entrelinhas
Se é que sabe que eu escrevo nas entrelinhas.


Descubra...Ou não.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Blood Brothers - Iron Maiden

sábado, março 26, 2011

NÃO IMPORTA MAIS

A porta está trancada 
Não há mais ninguém aqui
Quero dizer, não há mais ninguém
Além do alguém, eu.


Está frio lá fora
Está frio aqui dentro, porém, de uma maneira diferente
Eu deito no sofá
Me cubro
Me descubro
E me descubro.


Eu ligo a tv
Desligo a tv
E faço cena sem querer.


Está escuro
Não completamente
Sabe aquele escuro-claro....Apenas iluminado pelas luzes exteriores?
Então, este mesmo...Mas isso, na verdade não importa.


Não importa a tonalidade do escuro
Não importa a tv estar desligada ou ligada
Não importa a cor das paredes da sala
Não importa se a porta está aberta ou trancada.


O que importa é o frio que o cobertor não desfaz
O que importa é o meu olhar perdido nas janelas bifocais
O que importa são os ponteiros do relógio
Na verdade o que importa, não se importa mais.


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora: The Drugs Don't Work - The Verve

sexta-feira, março 25, 2011

ANNIE

E vou caminhando devagar 
À beira do mar
Raspando os pés na areia
Sentindo o chão macio
Algumas vezes a água batendo...


Sandálias nas mãos
Calça dobrada
Cabelos soltos
Longos, ondulados e negros
Dançando ao sabor do vento.


Annie, sorria docemente ao ver as madeixas esvoaçantes
Seus olhos eram de um azul tão celeste
Que até mesmo o azul do céu a invejava
Por tão linda tonalidade.


Parou, sentou-se, ali mesmo, na areia 
Olhou no relógio...
Já eram quase 17:30
O sol estava quase se pondo.


Foi tomada pela inércia...
Do corpo...Não de pensamentos
Enquanto caminhava não pensava tanto
Depois que sentou-se começou a divagar.


Ouvia uma música
Behind Blue Eyes
E cantava junto:
"But my dreams, they aren't as empty
As my conscience seems to be
I have hours, only lonely
My love is vengeance
That's never free"*
De repente parou a música
E achou que tudo fazia sentido
"Eu tenho horas, de pura solidão"
De pura solidão?
Como aquele momento, ali na praia, deserta e não havia mais ninguém...
Passou alguns minutos, tentando achar alguém em sua mente com quem realmente pudesse contar, alguém que pudesse dizer a ela, que não estava sozinha...Foi em vão.

Deu por conta que o sol já estava se pondo
O céu estava num tom rosa-avermelhado, que era extremamente bonito
Os raios de sol coloriam a cena, antes preta e branca
E acentuavam sutilmente a sombra de Annie na areia.

Agora apenas cantava:
"And no one knows what it's like
To be hated
To be fated
To telling only lies"*

(Tamires Alci)


*Tradução: Mas meus sonhos não são vazios,
Como minha consciência parece ser
Eu tenho horas, de pura solidão
Meu amor é a vingança
Que nunca está livre.

**Tradução: Ninguém sabe como é
Ser odiado
Ser destinado
Para contar apenas mentiras.

quinta-feira, março 24, 2011

PROCURO-ME

Onde está?
Onde está?
Onde estou?


Procuro-me: Morena, baixa, olhos castanhos, pensamentos diversos, cabelos longos, frases nos bolsos, humor inscontante, tendências a bipolaridade, cinismo, ironia..


Se encontrarem, me telefonem
Me digam em que momento da minha vida me perdi de mim mesma
Me diga aonde se encontra
Em qual das recordações ficou estampado o meu sorriso plástico.


Me mostre em qual fotografia antiga eu ainda estou
Me mostre traços do que ainda sou
Me conheça e me apresente
À mim.


Quero reconhecer o meu eu, de quando era apenas criança
Quero ajudar-lhe com o dever de casa
Quero brincar de bonecas
Quero ajudá-la com o joelho ralado
E ver o brilho nos olhos de quando ganha um presente
Quero ver novamente a Iris.


Só não quero vê-la
Inevitavelmente tornar-se o que sou
Tornar-se o que somos
Tornar-se mais uma pessoa do mundo
Com sonhos quebrados
E pensamentos não mais tão frescos como o céu azul.


Só não quero ver seu sorriso sincero ser plastificado
Só não quero ver o brilho dos olhos perder-se para além do horizonte
E tudo o que for sincero ser suas meras palavras.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Sweet Child O' Mine - Sheryl Crow

terça-feira, março 22, 2011

INCONFORMISMO

"I formulate infinity and store deep inside of me"
Recrio meu mundo com nuvens de algodão 
Com um sol pintado de tinta guache
E grama rabiscada no chão
Depressão
De-pressão
Dê-pressão
Depressa...

Chegue rápido!

Nada contorna os traços incessantes de tristeza
Nem mesmo o sorriso plástico
Os olhos de vidro
E as palavras bonitas que fluem pela boca
Ou escoam da caneta
Sobre o verso desfeito.

Nenhuma dor pode ser reparada
Mas todo sorriso pode ser quebrado
E toda vida desvirtuada
'Desvivida'.

E ai o caminho fica mais escuro
Mais pesado
Frio
Inconformado.

Digam o que quiserem 
Façam o que fizerem
Passem onde estive
E realcem o contorno da dor
Mas não espere de mim, o que eu não sou.

Vamos mais uma vez celebrar a estupidez
E a insensatez 
De quem vos escreve.


(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora:Oh Me - Nirvana

segunda-feira, março 21, 2011

S'IL VOUS PLAÎT





O rádio-relógio marca 03:15 A.M
Eu acabei de acordar
Não tenho mais sono
Meus pensamentos pairam no ar.


A luz da varanda está acesa
Então o quarto está parcialmente claro
Que me remonta a um lugar obsoleto onde eu não gostaria de estar
Gostaria apenas que essas coisas na minha cabeça estivessem tão claras quanto aqui.


O copo de whisky está com um pouco d'água
Dos gelos que derreteram
E há papéis amassados pelo chão
As várias tentativas de escrever-lhes este poema em vão.


As várias tentativas de tirar-te dos meus pensamentos
E tornar-te real
Ter-te aqui
Abraçar-te
Beijar-te
Admirar-te
Os ponteiros do relógio, parecem uma eternidade sem você.


Tentarei voltar a dormir
Tentarei voltar a meu estado de r.e.m
Quanto mais espero...Menos esperarei?
Ou quanto menos espero...Mais esperarei?
Répondez s'il vous plaît...


De mais a mais
Espero não tanto esperar...


(Tamires Alci)




*(Répondez S'il Vous Plaît, expressão francesa que, ao pé da letra, significa "Responda se desejar". No entanto, "s'il vous plaît" é o equivalente a "por favor", em francês. Ou seja, na verdade, RSVP significa "Responda, por favor")




•Ouvindo Agora : In A Darkened Room - Skid Row

quinta-feira, março 17, 2011

DANÇA COMIGO?

A soma dos meus desejos
Faz a volta do meu mundo infinito
IN-finito
F-IN-ito
Desejando tomar posse dos meus desejos insanos, cada vez mais.


Clarisse pintas as unhas das mãos de vermelho
Vermelho paixão
Vermelho sangue
Vermelho inferno.


E pinta as unhas dos pés de azul
Azul mar
Azul tranquilo
Azul céu.


Clarisse tem a alma púrpura
E a iris furta-cor
Ela dança no escuro
Como se ninguém a visse.


Não me diga como dançar
Apenas dance comigo
E com Clarisse...
Dançando no escuro...


E quando não tivermos mais como dançar
Colocaremos nossas asas
E voaremos pra longe daqui
Pra onde houverem músicas mais bonitas.


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora: Dancing In The Dark - Bruce Springsteen

terça-feira, março 15, 2011

POEMA VAZIO



Vagando e divagando
Por linhas vazias
De páginas em branco
Procuro veemente
Algo para descrever-lhes.

Cansei e parei de procurar por aqui
Por isso proponho-vos
Um poema vazio
Vazio de exatidão
Vazio de rimas
Vazio de palavras bonitas
Talvez até vazio de beleza para alguns
Mas para quem conhece o brilho seco de uma mente perturbada
Jamais dirá que estou sendo vazia de sentimentos
Enquanto vos preencho essas linhas azuis de caderno.

O que se tem a dizer
Não foi dito.
Foi calado
Foi censurado.

O que se tinha pra ver
Já foi apagado
E o que há de se entender
Não necessita explicação.

Como o uso retórico de uma frase qualquer
Não necessito perguntas
Nessecito respostas
Sou respostas.

Sou uma peça torta
E mal encaixada
De um quebra-cabeças sem fim
De um quebra-cabeças de espiral.

Vivo sem ter meios
Escrevo sem ter condições
Sinto sem ter medo
E ouço...ouço...ouço o grito do poema vazio

(Tamires Alci)

segunda-feira, março 14, 2011

OVERDOSE

-Por acaso você estava procurando por isso? 
-É, eu estava...
-Eu encontrei ali...
-Ali, ali aonde?
-Ali onde eu perdi o rumo da minha história e comecei a me versificar...


Em qualquer lugar que estou me identifico
Me identifico com a paisagem
Com a chuva
Com o vento
Com o cair da noite
Mas não pertenço a lugar nenhum
E lugar nenhum me pertence.


Sou uma viajante do meu próprio mundo
Sou uma turista sem fronteiras e milhas aéreas
Estou por toda a parte onde eu me interesse
Mas sou infinitamente maior do que eu posso alcançar.


Criei asas com as minhas próprias mãos
Desenhei, escrevi, divaguei, trabalhei, esculpi
E as me dei de presente
E uso-as, da maneira com que escrevo esse poema 
Minhas palavras são minhas asas.


Não escrevo pra agradar o mundo
Sou egoísta
E escrevo para conseguir voar
Escrevo pra agradar meu ego
Escrevo para tocar o meu infinito céu particular.


Sou a minha própria droga
E isso tudo é a extensão de uma overdose de mim mesma
Talvez eu aprenda
Talvez não
Espero não aprender
E continuar vivendo à beira de uma crise de identidade...


Mais uma...


(Tamires Alci)




•Ouvindo agora: Hesitate - Stone Sour

sexta-feira, março 11, 2011

LISTA DE DESEJOS

Desejo ser a chuva fina
Depois de um dia de verão
Desejo ser a única pessoa
De quem você sente falta, em meio a multidão
Desejo ser a solidão


Desejo ser a brisa leve
Que toca sua face
Quando pensas em mim
Desejo ser a nostalgia das tardes de outono.


Desejo ser o cheiro de um perfume inesquecível
E desejo ser os tímidos raios de sol
Entrando pela sua janela
Numa manhã de inverno, a te acordar.


Desejo ser o renascer das flores na primavera
O céu claro, e as nuvens brancas dançando
O rosa-chiclete, o azul-violeta
Ser os raios de felicidade.


Desejo ser a menina dos teus olhos
E estar no teu abraço
Sentir-te perto de mim
E nunca mais precisar fugir.


Desejo ser os lábios de mel
Que você sempre sonhou beijar
Desejo muito mais que tudo isso
Eu desejo o infinito
E todo o azul do mar...


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora: Just A Breathe - Pearl Jam

AMIZADE

De palavras em palavras
Cria-se vínculos irreparáveis
Sorrisos inconfundíveis.


Mesmo estando tão longe
Sinto que estás tão perto de mim
A me proteger
Afinal, anjos são postos na nossa vida para isso
Para estarem sempre presentes
Mesmo quando ausentes.


Um dia, toda essa distância iremos vencer
E quando esse dia chegar
Vou te abraçar e dizer:
Amiga, eu adoro você!


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Dust In The Wind - Paula Fernandes

Ps. Dedicado à minha amiga e amora: Iasmyn Santiago.

quarta-feira, março 09, 2011

FÊNIX

E eu desejo em meio ao vão do espaço
Encontrar-te, encontrar-me
E perder-me em seus braços.


Por muitas vezes estive confusa
Por muitas vezes calei, 
Sem saber as palavras certas 
E como empregá-las a tornar uma oração agradável
Ou meramente expressiva aos que me leem.


Ou meramente uma extensão do eu
Que ninguém conhece, além de mim mesma
Além da minha culpa ou da minha consciência
Se pequei ou se estive em silêncio por todo esse tempo
Foi por que achei necessário.


Agora desfaço-me em versos
Desfaço-me em palavras
Por todas as vezes que silênciei 
Porque não tive voz para gritar.


Por todas as vezes que o grito ecoou dentro de mim
Mas não saiu pela minha boca
Por medo...


O medo de não compreender
O medo de não ser compreendida
O medo de perder
O medo da despedida.


Um sábio me disse uma vez:

"Quando você não sabe pelo que está procurando
Provavelmente encontrará algo que não gostaria de encontrar"


Encontrei tudo o que gostaria de deixar pra trás
Ou que ao menos não gostaria de ter tido, reconhecido, passado ou vivido.


Liberto-me de todos os momentos incessantemente constantes em minha memória
E renasço feito a fênix em que você desacreditou
Assim, torno-me mais uma vez eu mesma
Torno-me tudo o que realmente sou.


(Tamires Alci)




•Ouvindo agora: Forever And Always - Bullet For My Valentine

terça-feira, março 08, 2011

July, John....

Escorada na porta, pego-me, te observando em silêncio...Você, espiando a rua lá embaixo pelos vãos da persiana, enquanto a luz da mesma, contorna seus traços. Suas costas largas e seu cabelo grande acentuando-as. Não sei o que pensar, só consigo ficar aqui, admirando-te em silêncio, enquanto não notas a minha presença...Na verdade, enquanto não me pede para chegar mais perto, pois sei, que a minha presença, tu notarias a quilômetros.


De repente, sem virar-se, questiona:


-Porque você gosta tanto de ficar me olhando, assim de longe?


-Não sei...Apenas gosto, me sinto bem


-Chegue mais perto.


Andei alguns passos atravessando a sala escura, até a janela, onde ele estava.Tomou-me em seus braços, me envolvendo com carinho e eu me dispus a espiar as pessoas lá embaixo também. Disse-me:


-Tá vendo aquelas pessoas, a andar de um lado pro outro na chuva?


-Sim


-O que achas que elas estão fazendo?


-Voltando para casa... (pois já eram quase cinco da tarde)


-Porque? (perguntei)


-Algumas estão voltando pra casa sim, algumas estão saindo de casa, e algumas gostariam de não ter que voltar para casa...As que estão voltando pra casa, provavelmente irão encontrar a esposa, os filhos, e seu cachorro. As que estão saindo de casa, estão indo pro trabalho ou indo encontrar com os amigos...E as outras...Hm...Esqueça elas...


-Prossiga, John, você sabe que eu odeio rodeios...


-Okay, as que não gostariam de voltar pra casa...Essas são um caso difícil de se entender...Literalmente, são os mal-compreendidos, os reprimidos, são os que adorariam voltar no tempo e fazer tudo diferente...


-John, porque está me dando todas essas explicações retóricas sobre pessoas que eu não conheço


-Porque na verdade você os conhece...


-Não, não os conheço...(insisti)


-Conhece, porque eu sou um pouco de todas essas pessoas...


-Certo, discorra...


-Eu já fui o homem voltando pra casa, mas não tinha esposa nem filhos, tinha apenas um cão a minha espera, que sempre dormia aos meus pés no sofá, enquanto eu assistia um filme qualquer, esperando a noite passar. Já fui o cara saindo de casa para encontrar com os amigos, mas descobri que nem todas as pessoas que a gente conhece, podemos chamar assim, alguns são apenas colegas. E já fui o mal-compreendido. (Calou-se instantâneamente nesse momento)


-Se você já foi o incompreendido, você gostaria de voltar no tempo e fazer algo diferente?


-Sim, gostaria.


(Nesse momento, ela gelou, ficou com medo, mas mesmo assim, perguntou)
-O que você faria diferente?


(Ele continuou calado, mas agora, com um sorriso nos lábios, como quem fazia suspense para responder e interrogou:)
-Você realmente quer saber?


(Morrendo de medo, porém confortada pelo sorriso contido dele, respondeu:)
-Sim.


-Se eu pudesse realmente voltar no tempo, teria arrumado uma maneira de ter te conhecido antes e não ter precisado ser essas três pessoas das quais eu dei exemplo...Eu seria apenas o homem feliz e satisfeito, por chegar em casa e ter uma esposa maravilhosa, filhos e meu cachorro. Eu te amo July.


-Eu também te amo muito John.


E logo depois, foram tratar de encomendar os filhos que estavam faltando para completar a cena.


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora: Need You Now - Lady Antebellum

sábado, março 05, 2011

MUDANÇAS

E quando chegamos ao fim
É realmente tudo o que somos
Uma eterna soma das nossas escolhas e decisões
Uma eterna dívida com o mundo 
Com o que nos fez assim.


Caminhando pela chuva
Ouço meus passos
O som dos saltos da bota
Ecoam até o fim do quarteirão
Mas o que ecoa em  minha mente
É um pouco diferente de tudo o que estamos falando.


A noite está caindo
E a acompanha o meu pensamento
De que tudo o que eu fiz
É tudo o que, na verdade, eu me tornei.


Dos momentos passados
Que se tornaram lembranças agradáveis de dias amenos
Dias a menos
Dias ao menos
Que sempre estarão guardados, como uma foto
Em um diário velho, no fundo da gaveta.


Ao longo de nossa vida
Crescemos...
Daí, mudamos os nossos cabelos
Mudamos as nossas roupas
Mudamos nossos sapatos
Mudamos de cidade
Mudamos de lugar
Mudamos de ares
Mudamos de pessoas
Mudamos de colegas...


Mas a mudança não acontece só por fora
Mudamos nossos pensamentos
Mudamos nossas atitudes
Mudamos nossas escolhas
Mudamos nossos sentimentos (Aliás, estes, são constantes e eternamente mudados)
Mudamos quem nós somos e nos propusemos a ser.


Nós todos somos uma eterna mudança
E a chuva, afinal, tem sim a ver com o que eu penso...
Porque o tempo, assim como nós, é uma eterna mudança
Uma eterna metamorfose, da qual, nenhum de nós escapa.


Nem aos céticos pertence o dom da palavra
Porque todo o pensamento, pode ser mudado
Mesmo depois da frase pronunciada.


E ao final, é tudo o que somos


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora:All Apologies - Nirvana

quinta-feira, março 03, 2011

QUANDO O CARNAVAL CHEGAR...

De pouco em pouco vai chegando o carnaval
Esse temporal (a)temporal de felicidade vomitada
Não são todos assim
Mas eu detesto o modo com que a mídia banaliza e escancara as coisas:
Feliz, feliz
Sorriso, sorriso
Peitos, bundas, coxas...Buce...
Tudo tão jogado na nossa cara.


Onde foram parar os bailes de máscara?
Onde foram parar os pierrots e as colombinas?
Onde foi parar a decência?


Carnaval agora é mulher pelada, bebida e sexo...
Natal é funk, bebida e sexo...
Páscoa é chocolate, bebida e sexo...
Dia dos namorados é rosas, motel e sexo.


Tudo se resume em sexo
Ninguém mais se diverte sem sexo?
Sem drogas?
Ninguém mais se diverte por se divertir?


O que aconteceu com a elegância das fantasias de antigamente?
Ou com os sorrisos verdadeiros?
Também não sei....


(Tamires Alci)


Ps. Pra quem for curtir o carnaval, não se esqueçam: Usem camisinha. Quem vê cara, não vê coração.


•Ouvindo agora: Quando o Carnaval Chegar - Engenheiros do Hawaii

terça-feira, março 01, 2011

TIC-TAC?


E de contra-vontade 
Encontro-me sempre nessa encruzilhada
Sem saber pra onde ir
De onde vim
Para onde vou.


Aposso-me lentamente da minha vã filosofia
Acredite se quiser
Apresse-se, não terei as mesmas idéias por muito tempo
Não terei a mim por pouco tempo
Mas terei sempre as mesmas sensações que me remetem à momentos
Assolando meus pensamentos, vagamente.


De fato, retrato em mim 
O que gostaria de ver em você
Talvez seja isso que está errado
Talvez seja isso que me faça viver.


Vivendo meramente aos poderes e desejos do acaso
Ou do destino...seja lá como você goste de chamar
Acho que isso tudo é uma perda de tempo
Hora ou outra, vai passar...


De vez em quando ouço o tic-tac do relógio
Tic-tac
Tic-tac
Tic-tac
Tic-tac
Ecoando...Esvaziando minha mente, lentamente.


Divagando devagar
Nos meus devaneios
Sobre meu mundo devastado
Desolado, desaguado
Afastado de tudo...


E assim vou ficando
E assim vou fugindo
E assim conheço meu caminho
Minha insanidade eu brindo
De quando em quando
Seguindo, sozinho...


(Tamires Alci)


•Ouvindo agora: Wishlist - Pearl Jam
  •