Subscribe:

terça-feira, junho 28, 2011

MEU TRAVESSO MENINO CHAMADO DESTINO

Se eu pudesse
E se eu pudesse
Ler o livro da minha vida
Ou o que muitos chamam de destino
Não seria esse menino franzino
Que duvida que a vida possa mudar.


Também não seria menina
Distinta e de família
Seria do meu próprio eu
Que seduz com um olhar, dançarina.


Não sei se mudaria o meu final
Mas mudaria meus meios
E minhas justificativas
Andaria de avião
Pararia andando
Voando na minha locomotiva.


E se eu pudesse...
Ahhh se eu pudesse...


Não suspiraria pelo meu destino
Esse travesso menino
Que se pôs no meu caminho
E às vezes faz as coisas como bem quer.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Te olho nos olhos/É isso aí - Ana Carolina

domingo, junho 26, 2011

APENAS PARA A REFLEXÃO DOS SEDENTOS

Será que são as pessoas que passam por nossas vidas 
Ou nós que passamos pela vida delas?


Somos nós quem terminamos um relacionamento
Ou ele que acaba com a gente quando acaba?
Quando está no meio
Quando a gente não tem mais certeza.


Quando a gente passa a não ter certeza?


Não só de relacionamentos...
Certeza do que fazemos
Certeza do que fomos feitos para fazer
Certeza de quem somos
De quem fomos
De onde andamos...


Quem pode nos dar essa certeza se não nós?
O problema é quando nós passamos a duvidar...


Então apenas fique com a minha mera pergunta sem resposta
Que eu fiz a mim mesma, ontem, antes de dormir:


"O que temos dentro de nós: coração, fígado, rins...É apenas uma máquina para o funcionamento da nossa aparência, da estética, do que temos por fora OU o que temos por fora, pele, cabelos, unhas é uma mera capa para a proteção do que temos por dentro?"


E afinal o que é de verdade: "por dentro"
Órgãos ou sentimentos?


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Hurt - Nine Inch Nails

quarta-feira, junho 22, 2011

NÃO NÃO SIM

Não não
Uma toalha branca sobre a mesa
Um sutiã de renda sobre a cama
No sofá meia dúzia de bombons
E coração partido de uma dama.


Não não
O sangue suja sua mão
O lençol tá sujo de poeira
O gato preto mia aborrecido
E a lágrima não pode limpar essa sujeira
É muito...Pouco...Pra tanta...Ingratidão.


Não não
A tv tá ligada no mudo
O som tá alto
Uma guitarra distorcida
A bateria muda tudo que tava mudo
Um grito seco de Kurt Cobain.


Não não
Essas paredes estão ficam menores
Os bombons são cogumelos
Assim são melhores...


Sim sim
Apenas deixe estar
Extasiada
Quase morrendo sem ar...


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Lake Of Fire - Nirvana

segunda-feira, junho 20, 2011

ARCO-ÍRIS SEM FIM

Não vou mais viver
Deixando a vida passar pela janela
Que mesmo bela
Tem seu ar melancólico.


Não vou ficar aqui observando a moça passar
Com seu vestido florido
E cabelos compridos
De ar bucólico.


Vou colocar a minha saia de bolinhas rosa
E uma blusa macia
Vou passear no parque
E comer melancia.


E quando chover vou desejar sol
Quando o sol brilhar, vou desejar que as gotas d'água caiam sobre mim
Serei assim
Um arco-íris sem fim
Refletir-ei em meus olhos
A beleza que você não puder ver.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Uma Louca Tempestade - Ana Carolina

sábado, junho 18, 2011

A SILHUETA

"I stand here, where the hours don't pass me by
I stand here, going into the blue...Deep blue, than sky."




As horas não passam
Realmente não passam
Nem o vento passa por mim.


Eu fico aqui imaginando um milhão de coisas
Enquanto me afogo no azul do céu
Azul da melancolia
Azul da tristeza
Da cor que seus olhos sairam na fotografia.


Deito-me
Levanto-me
Sento-me
Nada parece agradar
Nem meu corpo
Nem minha alma
Nem a boca a bocejar.


O sol forte brilha às duas da tarde
Contorno perfeito na silhueta da moça
Sentada à espera do nada
Sentindo o calor esquentar seu corpo.


Já são quatro da tarde
E a moça nada mais espera
O sol já não brilha tão forte
A sombra já não contornar nada
E é apenas um borrão
Um borrão torto do que era um belo desenho no chão.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Jaded - Aerosmith





quarta-feira, junho 15, 2011

CONVERSA DE BAR

Texto feito em parceria com o meu querido amigo Francorebel

Minha Versão: 

Trombeto conhecia Serena de vista, há bastante tempo até, porém, nunca haviam ser falado, talvez por falta de oportunidade. Ele nem sabia o nome dela. 

Certo dia, estava Serena em um bar qualquer da rua Helena, tomando umas, só pra variar, não tinha mesmo nada pra fazer. 

Trombeto diz:
-Quem é você, infeliz humano?! 

Serena diz:
-Feliz meio humano caro trombeto...
-Sou Serena, pode ser?

Trombeto diz:
-sim...
-seja o que quiser

Serena diz:
-Então sou livre...
-E você..Quem é?, Além de um demônio...

Trombeto diz:
-Trombeto, uma pessoa que veio te buscar pra dar um passeio, você quer? 

Silêncio no ar, uma longa pausa, Serena passou a encarar aquele ser com um ar meio desconfiado. Arqueou as sobrancelhas e disse: 

-Então, você vai ter que me convencer...não sou assim de dar passeios com demônios 

Trombeto sorriu, como se tivesse ganho um torneio e retrucou: 

-Mentirosa... acho que te vi com Lúcifer semana retrasada, no shopping...

-Ahhh, ele é um amigo especial de muitos anos, séculos para ser mais exata.

-Mas ele é tão revoltado e mau , contrastando com você que é tão serena, como se dão bem?

-Assim, a gente tenta se entender...Por muitos anos ele vem tentando me ensinar a ser má e
eu tentando ensiná-lo a ser bom, mesmo que nossas tentativas sejam vãs, a gente se diverte.

-Então, mesmo sendo boa a maior parte do tempo, às vezes você é má?

-Todos temos um lado mau...Até eu...

-Então eu devo ter um lado bom
 
-Creio que sim...ou talvez não...nunca vi Lúcifer fazer uma bondade

-Talvez ele não tenha descoberto o lado bom dele...Nem eu
-Como faço pra descobrir meu lado bom? Você sabe?

-Sabe que eu não sei... talvez ajudar os pobres, passear em campos floridos...essas coisas clichês que todo mundo diz que faz bem, nunca fui de fazer isso não...Aliás, acho mais que me mascaro em ser boa...na verdade meu lado ruim pode predominar...mas isso é segredo...é melhor que todos continuem me achando boazinha.

-Legal.... vou tentar desenvolver todos os lados.

-É melhor eu continuar sendo boazinha pra ninguém desconfiar, mas sim, tente talvez seja bom pra você...Ou não.

-Quem sabe um dia, não viro quase um beato?! 

Serena sorriu, e num tom sarcástico disse: 

-Não exagera vai...Se você virar beato... Quem sabe eu vire Lúcifer e passe a te perturbar para você
voltar a ser mau... 

•Ouvindo Agora: Highway To Hell - AC/DC



terça-feira, junho 14, 2011

SIMPLICIDADE

E mesmo depois do entardecer
Eu continuo aqui
Eu olho pela janela
Atravesso a porta
Passeando pelo túnel do meu tempo.


Rabisco uma folha qualquer
Um desenho qualquer
Um nome qualquer com um número
A quem não se deve ligar.


Uma música toca no rádio
É uma bela vitrola
E esse som de viola
Que meus versos copia
Plágio.


Sábia sabedoria
Que me ensinou
"Quem diz que sabe tudo, na verdade nada sabe."


E depois de espalhar as tigelas pelo chão
Ao passo das goteiras
Vou dormir e aquietar meu coração.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Simplicidade - Pato Fu

domingo, junho 12, 2011

UMA DEDICAÇÃO ESPECIAL AOS NAMORADOS

"E em pequenos versos 
Desfaço-me em laços
Os laços do presente que eu te dei
Os laços que me unem à você
Os laços são só um pretexto pra falar do meu amor por você.


E uma poesia doce
Com gosto de mel
Que enche de água a boca
Que dá vontade de um beijo na boca.


É com você que quero estar
Na chuva, no quarto
Na montanha
Ou fazendo amor na beira do mar."


Dedicado à todos os namorados e/ou namoradas que fazem da nossa vida um pouco mais feliz, um pouco mais doce, com um quê de filme de comédia romântica. E com dedicação mais que especial à  pessoa que tem sido uma das mais importantes da minha vida, que tem se dedicado cada segundo à me fazer sorrir. Obrigada meu amor, meu namorado, Sinner.


Te amo.


Com muito carinho...Tamires


E aqui, um vídeo que eu acho que combina super bem com a data de hoje:


•Ouvindo Agora: Eduardo E Mônica - Legião Urbana

quinta-feira, junho 09, 2011

A CASA

Entre os encantos da casa me perdi
Tudo parecia tão pequeno
E ao mesmo tempo tão proporcional a mim
O meu mundo.


Passei horas sentada no corredor
Olhando as paredes em um tom de verde-escuro
Parecia lodo
Parecia minha consciência podre.


Por tempos, todos os dias eu me pegava admirando os quadros das paredes
Em um deles havia uma belíssima paisagem praiana
Esse, em especial era meu favorito
Gostava de olhar para ele...Me lembrava tempos de menina
Onde com meus pais sempre iamos à praia
Que geralmente não tinha muita gente...
E infelizmente, também me lembrava de que nunca fui muito boa em construir meus castelos de areia.


O corredor era frio...gélido, tinha clima de morte
Diferenciava-se então do resto da casa, que era ternamente aconchegante, lembrava abraço de mãe.


Lembrava...
Hoje já não se lembra
Hoje já não se tem...


E eu que nunca fui boa em construir castelos de areia
Tenho uma muralha invisível ao meu redor
O que dizer de mim?


(Tamires Alci)


Ouvindo Agora: A Via Láctea - Legião Urbana



segunda-feira, junho 06, 2011

O POEMA MAIS BONITO

Em uma trilha de montanha eu quero me perder 
Me banhar em águas claras
Me sentir viva e deixar viver.


Em um pôr-do-sol à beira-mar
Quero descansar
Enquanto as cores se misturam e atravessam meus cabelos
É lá onde eu quero estar.


Eu quero acreditar que existe um pote de ouro no fim do arco-íris
Me sentir criança e deixar a chuva me molhar.


Eu quero que o vento balance o meu vestido branco
Em um campo de flores
E que o perfume inunde nossas almas
Enquanto dançamos 'Por Una Cabeza'.


Quero correr atrás de borboletas
Quero enfeitar o cabelo com uma flor
Quero que seja natural e que seja lindo
Todo esse sentimento
Que eu acho que é amor.


Construir castelos de areia em uma praia
Destruídos pela onda que se aproxima
E que sejam só os castelos destruídos
E nada mais...
Porque o príncipe e a princesa já fugiram para longe do seu reino
Para um lugar mais bonito.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Por Una Cabeza - Carlos Gardel

sexta-feira, junho 03, 2011

A CHUVA E A GUITARRA

Sente-se aqui e veja como a chuva pode te fazer bem
Sente-se aqui comigo, na chuva
Deixe seu corpo se molhar
Deixe sua mente relaxar
Sinta apenas as pequenas gotas caindo sobre você.


E é assim que eu me sinto
Bem melhor por estar na chuva
A leve batida da música.


Louca, uma criança perdida
Como uma banda de rock dos anos 80
Com seus cabelos rebeldes
E suas maquiagens escuras
Apenas tentando mostrar o quanto são assustadores
Quando não passam de crianças assustadas.


E quando a chuva cai
Eu sinto que não preciso fingir
Eu sinto que não preciso assustar ninguém
Porque esta criança se acalanta ao ver esse espetáculo tão rudimentar.


Eu não preciso correr
E nem chorar
Eu me sinto feliz quando chove.


É como criar as minhas próprias notas na guitarra
E só eu sei como posso tocar
Me equilibrando entre mi e lá
Enquanto soa pelo amplificador
Os passos pela ponte flutuante que me levam ao equador.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Happy When It Rains - Jesus & Mary Chain

quarta-feira, junho 01, 2011

DIALOGO LOUCO SOBRE MORTE POR AFOGAMENTO

E eu vou indo... 
Afundando...
Às águas estão escurecendo...
Não sinto mais meu corpo...


Meus olhos estão abertos...Fixos.
Minhas lágrimas não caem mais
Minha boca não me obedece...


Eu sinto uma profunda dor de estômago
Eu estou náuseada?
Eu sinto uma profunda dor em todos os meus músculos
E isso é tão forte que eu não consigo nem me contorcer.


Minha cabeça está ficando pesada
Meus pensamentos parecem flutuar numa enorme vasilha de gelatina
Queratina....
Cabelos boiando por toda a parte...


-Você já notou como eles ficam tão lisos embaixo d'água?


-Sim, é uma beleza cruel...Você não acha?


-Achar o quê? Quem tem que achar alguma coisa aqui é você.


-Peraí...!, Um momento por favor!


-Isso que é morrer?


-Talvez seja...


-Como talvez seja? existe estar meio morto?


-Quem sabe...Pra estar me questionando assim, talvez você já esteja...


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Estranged - Guns N' Roses
  •