Subscribe:

quinta-feira, setembro 29, 2011

RECADO

Não é a hora
Nem o lugar adequado
Não é o certo
Nem o tormento do errado.


A poltrona está vazia
É estranho não te ver sentado ali
Eu sempre via


Existe a mão-dupla
E a janela não fechada
Existe a porta aberta
E a blusa molhada.


Não tem que entender
É simples assim
São paradoxos pra você
E não pra mim.


Não me diga que cansou da nossa conversa
Sempre foi tão igual
Porquê você não fica mais um pouco
E a gente não discute sobre o nosso amor banal.


As letras só são letras porquê nos ensinam desde pequenos a diferença entre letras e desenhos, caso contrário, todos os reles recados de geladeira e cartas de amor seriam verdadeiras obras de arte.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Creep - Radiohead cover by KoRn

quinta-feira, setembro 22, 2011

CONFUSÃO

Não dias ruins
Nem dias a mais
Só dias estranhos
E meio desiguais.


As horas se arrastam
As horas voam
As horas param
Elas fazem o que bem entendem.


O relógio trava
Não aguenta mais essa indecisão
A pilha acabou
E o alarme não soou.


O céu está tão cinza
Cinza é uma cor estranha
Tem gente que gosta
O cinza é um tipo de indecisão
Assim como todos os números ímpares.


É tudo meio confuso
Meio difuso
Meio largado por ai...


Mas ninguém se importa
Enquanto não houver mais um eclipse solar
Todos continuarão trabalhando
E o mundo não vai parar.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Time - Pink Floyd

sábado, setembro 17, 2011

PERMITA-SE

Permita-se


Permita-se ser o certo e o errado
E sorrir mesmo estando atrasado.


Permita-se ser o constante e a variável
Os dois lados da moeda
E os três lugares no sofá
Permita-se ser mutável.


Permita-se dizer qualquer coisa idiota
Permita-se vencer
E permita-se a derrota.


A gente vai aprendendo assim
Devagar
Divagando
Andando
Lendo
Chorando e esquecendo.


Permita-me agora dizer-te algumas coisas:
Você não vai viver para sempre
No começo é assustador pensar que você pode morrer amanhã
Mas se você se permitir viver, essa ideia não vai parecer tão mal.


Nem sempre você vai estar certo:
Então acostume-se a errar de vez em quando
Relaxa, é normal, todo mundo erra
E os seus erros vão servir de exemplo pra você e talvez até pra mais gente.


Uma coisa quase inútil:
Quando mais você correr, mais vai ficar molhado da chuva, então continue andando.


Uma coisa útil:
Se você acha que alguém vai te assaltar, acene para o vento...Às vezes funciona.


Mais algumas coisas:
Não se aborreça demais, mas se aborreça sim, de vez em quando
É bom pra você saber como andam seus impulsos.


Não ofenda alguém que você não gostaria de ofender
O sentimento de culpa depois dói mais do que se você tivesse sido ofendido.


Peça desculpa se estiver errado, e se não estiver, peça também
Não vai te machucar.


E o último dos meus conselhos bobos
Sorria, nada mais...
Apenas, sorria
Se não entendeu...Um dia irá entender.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Airplanes - Haley Williams Ft. B.o.B ♫

quinta-feira, setembro 15, 2011

ANDANDO NA CHUVA

O casaco não espanta o frio

Muito menos as luvas
Tão finas
Tão refinadas
Rendadas...


A calça rasgada remete a rebeldia
A mesma presente nos olhos demarcados
Na boca vermelha
Na atitude
No botton da bolsa.


Vou tentando chegar sem correr
Já ouviram dizer que quando a gente corre na chuva se molha mais do que se estivesse andando?
Bom, eu não ficaria nesse dilema se tivesse trago um guarda chuva
Mas hoje de manhã o dia estava tão bonito
Em 2 horas tudo mudou
O clima
O humor
O amor
E o gosto da chuva.


Acho que não chega a ser uma indireta
Nem uma direta
Acho mesmo que não seja nem algo de valor
São só os versos cantados na cabeça de alguém que gosta de andar na chuva
Enquanto o mundo se esconde.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Raindrops Keep Falling On My Head - B.J Thomas ♫♪

quarta-feira, setembro 14, 2011

22 SIMPLES ASSIM

Está chegando 22
E esses versos eram pra ser ditos depois
Mas eu não aguento segurar
Meu coração está aflito
E ele quer falar.


Deixe que cante o encanto que nos tomou
Deixe que os versos se entrelacem
Como o amor que nos beijou
Como o dia na praia
Que se foi...Mas estará presente para sempre em nossas memórias
E nas nossas futuras histórias
Que alguém há de ouvir.


Vão passando-se os dias de cinco em cinco
É assim que os conto quando não está aqui
Quando não posso deitar no seu colo
E viajar pra bem longe...


Dedico-te esses versos
Como quem dedica uma canção
Uma canção que fale de amor
Em voz e violão.


Enquanto nossos cabelos se enrolam
O mundo passa lá fora
Passam-se as horas
As semanas e o mês
O ano ainda não passou
Mas deixe pra lá todos esses clichês.


Sábio foi quem inventou o amor
Que mesmo com dor
Soube ser feliz.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: Preciso Dizer Que Te Amo - Cazuza

terça-feira, setembro 13, 2011

SAUDADE

Saudade do tempo 
Do vento.


Saudade do sabor
Do calor
Do amor.


Saudade de tudo que se foi
De tudo que passou
E ficou
E ficou pra trás.


Foi deixado de lado
Feito o caderno velho no fim do ano
Com alguns números anotados
Que ano que vem, já não serão lembrados.


Dos lugares por onde andei
De todas as pessoas que eu conheci
Deixei meu perfume no ar
Apenas um resquício de mim
Que ainda te faça sonhar.


Assim vou levando a saudade
Assim vou matando a vontade
De me ter de volta
Em tempos de revolta.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora: What's Up? - 4 Non Blondes ♫

sábado, setembro 10, 2011

INTERESSAM-ME

Interessam-me os calmos
E os puros de coração
Interessam-me conflitos da juventude
E amores de fim-de-tarde no verão.

Interessa-me desenhar
E voar beirando a água congelada do deserto polar.

Interessa-me dizer que sonhei contigo
E voltei pra dizer sim
Por todas as vezes que me neguei
Por todas as vezes que eu não estive ali.

Encanta-me saber que você não foi embora
Mesmo que eu tenha demorado
Mesmo que tenha passado da hora.

Interessa-me rabiscar o céu azul
E os inocentes
Eles são sempre tão engraçados
Interessam-me também os culpados
São destemidos os descrentes.

Interessa-me dizer
Que findo esses versos
Pensando em você.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Chão De Giz - Zé Ramalho

quinta-feira, setembro 08, 2011

VERSOS TOLOS

Junto com o vento
Foi-se o tempo que nós perdemos
Foram-se todas as tardes e os sorrisos.

Na boca de quem vê
O meu sorriso é uma tormenta
Que em livros não se lê
E só se vê nos olhos de quem inventa.

E quem ainda perde tempo com a poesia?
Com os livros encostados na estante da sala
Só pra enfeitar ou esconder a parece com infiltração.

Me diz quem lê esses versos tolos
E ainda acha que podem fazer algum sentido
Se hoje em dia você ganha as pessoas com o dinheiro e não com a educação
Me diz você
Que tal se apresentar, um abraço ou um aperto de mão.

Chegue, se ajeite
Me fale um pouco mais de você
Vinho ou café?
Tire os sapatos, deixe descalço o pé.

E assim vão fluindo as palavras
Leves feito flocos de neve
E assim vai passando o verão
Enquanto eu escrevo versos tolos deitada no chão.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Creep - Radiohead

terça-feira, setembro 06, 2011

OS MÓVEIS

Em dias nublados, como esse
Pequenos e quase insignificantes raios de sol
Cortam as nuvens
Iluminam-me o semblante.

São dias mais ou menos
Em que eu não sei o que dizer
São dias quase cheios
De não ter o que fazer.

Tantas as coisas que eu consigo pensar
Que quase me confundo
Queria mesmo era sumir
Ou mergulhar em um sono profundo.

Não precisa explicação
São apenas essas gotas que caem
Me fazem ficar um pouco mais triste agora
Elas caem do céu pra compensar as que não caem dos meus olhos
E pra me lembrar do que eu sempre vou ser.

Eu não poderia dizer que sou uma alma ingrata
Apenas uma pequena porção de velhice
Ainda acho dignamente sujo o lugar onde me encontro.

É como se a poeira se assentasse sobre os móveis
Que são nomeados da seguinte forma:
O ódio que fica no cantinho da sala e sobre ele, um abajur
A simpatia sobre a qual as pessoas se sentam
A mágoa está dentro do bule, perto das xícaras e pode ser servida com ou sem açúcar...Ou se preferir, com ou sem adoçante, que engorda menos.

O que pinta as paredes é um tom meio verde
Um verde não tão claro, não tão escuro
Não sei se esse poderia ser chamado de esperança.

A raiva fica no centro da sala
Estendida no chão e se roendo quando pisam sobre ela com um sapato sujo.

Sobre o rack, o amor
Este não está em um pote
Não está em um bule 
E não é só enfeite.

Este, é dividido em duas partes
A televisão que fica sempre ligada, mesmo quando está em stand-by
E os livros remanescentes de tudo o que já foi passado
E de tudo que ainda vai passar.

Pode parecer disforme
Mas eu vejo assim.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Sure Feels Right - Sixx A.M ♫

segunda-feira, setembro 05, 2011

MORBIDEZ

As pegadas foram se apagando
Com as ondas do mar
Os dias passaram
E foram engolidos pela falta do que falar.


A sala ficou vazia mais uma vez
A cama, que antes era bagunçada
Esta feita há mais de um mês.


A cozinha não cheira mais a café
Cheira a poeira encrustada em todas as partes
Cheira ao tapete sujo da lama do seu sapato.


A única coisa que entra aqui, ultimamente
É o sol, que de teimoso atravessa as janelas
Não tem muita importância.


Aparentemente mórbido
Mas é aqui que eu gosto de estar
É me isolando do mundo
Que eu acho o meu lugar.


A palidez da minha pele
Mostra apenas um verão que eu não vivi
E um denso inverno
Parece que para sempre vai existir.


Vão repetindo-se os dias
Vão repetindo-se os versos
Vão repetindo-se as pessoas
Vai criando-se o meu universo.


(Tamires Alci)


•Ouvindo Agora:Atmosphere - Joy Division

  •