Subscribe:

domingo, agosto 12, 2012

UM AMONTOADO DE PALAVRAS

Um quarto 
Uma luminária
Uma cama
Dois corpos cansados, abraçados
A luz do dia que começava a adentrar o ambiente.

Acordei...Não, na verdade eu não acordei. Acordar é o que a gente faz todo dia, não importa se está bem ou mal.

Seria mais apropriado que eu inventasse algum tipo de palavra... Algum tipo de palavra que tivesse potencial para descrever o que eu senti. Mas, na minha humilde opinião, acho que palavras são coisas superficiais demais, algumas vezes.

Então, fiquei ali deitada...Entre o sono, o sonho e a realidade...Não vou negar, os três me pareciam extremamente convidativos.

***Deixa eu me corrigir: "Ficamos, ali, deitados."

Ficamos ali deitados
Entre lençóis
Entre braços e abraços
E todos aqueles segredos
Que morrem aqui, só entre nós.

É engraçado como ser feliz é uma coisa ilegalmente estranha
Você sorri à toa 
Fica com cara de bobo (a)
Sua mente voa
Isso deveria ser registrado como algum tipo de 'psicose'
Aliás, o amor, esse sim, devia ser registrado como algum tipo de droga ilícita.

Mas vamos sim
Vamos falar dele
Do amor
E dos seus eles
E elas
E nós...

O amor é engraçado
É quase um pecado (se não é)
Uma droga
Tem gente que não sabe nadar
Mergulha nesse mar
E se afoga
Mas em todo caso
Sempre vai haver um salva-vidas
Ou um salva-corações
Vai saber...

E você se perde
Eu me perco
Nós nos perdemos
Entre 'ondas' e 'mares' que não saem dos limites da cama
Entre línguas e olhares, dizendo que me ama.

Dois copos de vinho
Unhas e arranhões
Duas doses de amor
E todas as suas 'não-razões'.

Ficamos combinados assim
Como o poeta disse: "Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure."

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Só Pro Meu Prazer - Leoni

5 comentários:

Marcos "Tinguah" Vinícius disse...

Muito bom o texto. Até pela subjetividade...
Dá a impressão de que foi escrito no momento, no exato momento mesmo.

Parabéns poetisa ;)
Beeeijos, e continue assim!

Arash Gitzcam disse...

Incrível como o livro WE (não é o filme da madonna)
dá um jeito nesses problemas gerais que cercam um romance...

Francorebel disse...

Que o amor venha

como uma droga ilícita, irmã.

Juliana Guedes disse...

Que texto lindo,
"Nós nos perdemos" estou perdida e não quero achar o caminho.
Me identifiquei com cada linha.
Amei seu blog flor, estarei sempr epor aqui.
Obrigado pela visita.
Beijos!!

Jú(lia) Delphino disse...

Adorei o texto, bem intenso, com um ritmo de prosa, simples e muito sincero, Parabéns.

Seguindo e retribuindo a visita (:
http://juliadelgues.blogspot.com.br/

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •