Subscribe:

terça-feira, setembro 18, 2012

ÓCULOS

...Senti dores de cabeça, uma tontura sem limites, mal estar. Fui ao médico. Me consultei, disse à ele meus sintomas. Ele me olhou, dos pés a cabeça, parou, pensou um pouco e disse que devia me consultar com o oftalmologista, talvez eu estivesse com algum problema nos olhos. 

Voltei pra casa e marquei uma consulta com o oftalmo pra uma semana depois, as dores de cabeça continuaram, não digo que estavam mais fortes, nem mais fracas, apenas estavam lá. Não era uma dor insuportável, era apenas algo que me incomodava e que antes não costumava incomodar.

Chegado o dia, às nove da manhã eu estava lá, sentada na sala de espera, aguardando pacientemente meu nome ser chamado. Depois de umas três pessoas, eis que escuto: "Carlos Miguel", bom, era eu. Me levantei e me dirigi ao consultório número cinco. Sentei-me e expliquei aqueles sintomas novamente, ele me avaliou e fez alguns exames com aquelas lentes, aquela coisa toda de ler as letras pequenas e tal. Ao fim da consulta ele chegou à uma conclusão: 

"Caro Carlos Miguel, creio que sua visão esteja um pouco afetada, pode ser pela sua idade ou pode ser apenas por genética, o fato é que terás que usar óculos."

Ouvi mais algumas palavras do médico, não, na verdade não ouvi, eu praticamente saí do meu corpo quando ele disse "óculos". Não que eu não goste de óculos, não é isso, o caso é que eu tive uma epifania.

Saí do consultório e fui pensando naquela frase dentro do ônibus à caminho de casa. 

"Eu...Óculos...Óculos...Eu...Visão afetada..."

Nunca tive problemas com os meus olhos, mas ao que me parecia, a idade estava começando a pesar. Não vou dizer quantos anos tenho, vou dizer apenas uma coisa: 

Eu não preciso de óculos para enxergar melhor ou para parar de sentir dores de cabeça e mal-estar. Eu preciso de um calmante que faça meu cérebro parar de pensar, ou quem sabe um tapa-olho que não me deixe ver mais nada como essa violência e toda essa babaquice sobre-humana.

(Tamires Alci)


7 comentários:

B. disse...

Adorei o desfecho! Bastante crítico. E a história também é diferente, o que me agrada.

Lucas C. disse...

hoje eu usei um livrinho do Georges Bataille como tapa-olho rs

Jú(lia) Delphino disse...

Que lindo, adorei mesmo.

Ariana disse...

Adorei o desfecho da história, eu também ando precisando de um calmante que me faça parar de pensar nos problemas.

Beijos

Girl Supimpa disse...

Olá, tudo bem?

Muito bacana a postagem.
Belas palavras!

Aguardo sua visita no meu blog :)

Estou te seguindo ^^

Beijos.


http://www.girlsupimpa.com/

Francorebel disse...

"Eu não preciso de óculos para enxergar melhor ou para parar de sentir dores de cabeça e mal-estar. Eu preciso de um calmante que faça meu cérebro parar de pensar, ou quem sabe um tapa-olho que não me deixe ver mais nada como essa violência e toda essa babaquice sobre-humana."

Rebentou, hein!

Para acalmar-se: Tome certos chás, e vista violeta, verde e azul.

Mas é mais fácil ficar calado do que calmo.

Logan disse...

Nada melhor do que música e palavras bonitas ao ouvido, melhor calmante...
Abraço!

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •