Subscribe:

quarta-feira, novembro 21, 2012

CHÁ DE COGUMELOS

Há tempos não escrevo um poema
Uma carta
Um relato
Uma monografia
Ou sei lá
Mesmo um recado de geladeira
Com beijo e marca de batom
Há tempos eu não mudo o tom.

Não mudo mais o tom da minha voz pra falar
E nem grito quando não querem mesmo me escutar
Já gritei demais
Discuti demais
E percebi que nada muda.

Ontem à noite eu nem dormi direito
Mas nem faz muito sentido dizer isso assim
Os ponteiros do relógios vagarosamente se encontravam
Cada vez em um número diferente
E cada vez que isso acontecia
Os tons do céu mudavam
Se enroscavam em cores diferentes
Cada vez que eu via
Azuis-escurecidos e azuis clareantes
Parecia algum tipo de psicose
Parecia que alguém tinha derrubado chá de cogumelos por toda extensão que cobria meus olhos.

Foi assim por um período incessante de quase duas horas
Eu comi geléia de amora pra ficar acordada
E maravilhada com a aurora boreal que minha mente estava criando
Talvez fossem os remédios
Talvez fosse a solidão
Ou só o tédio.

Eu nem contei
Meus pais dormiam no quarto ao lado
No universo ao lado
Cada um na sua estrela
Cadente ou não...

Eu não podia fazer nenhum tipo de barulho
Eu não podia cantar
Nem dançar entre os antulhos de fumaça cósmica
Entre as rosas do teu lixo estelar.

Eu sentei
Deitei
Dormi
E foi como se tivessem cogumelos pelo meu tapete.

(Tamires Alci)

8 comentários:

Léo disse...

Há vezes em que nos entorpecemos por que queremos, outras por que precisamos, não sei em qual das duas esse ato se encaixaria mas "dançar entre os entulhos de fumaça cósmica" deve ser uma experiencia no minimo marcante.

Francorebel disse...

Que linda a viagem que fizemos juntos agora.

Descobriste uma de minhas criptonitas: chás.

Saudade, irmã.

D. Mama disse...

Bonito, cara.
Eu no seu lugar teria dançado e cantado bem baixinho, (:

B. disse...

Gostei da analogia. É como se saíssemos de nosso mundo e viajássemos por um universo particular.

Aline disse...

Lindo e intrigante ao mesmo tempo!

Fernando disse...

Olá
Quando algo nos incomoda ao ponto de não conseguirmos dormir o jeito é viajar né e dar asas a nossa imaginação, assim saem lindos poemas como este :)

gde abrsss
Fernando
http://fernopinari.blogspot.com.br/

Rodrigo Almeida disse...

Estou visitando blogs, foi asiim que encontrei o seu,Parabéns pelo seu otimo blog é lindo o poema me apaixonei.
Meu nome é Rodrigo Almeida

PS. Se quiser seguir meu blog fique a vontade para que eu possa seguir o seu blog também.

http://saladecinemagospel.blogspot.com.br/

LIP disse...

Me intrigou bastante..bastante.
Forte né?

Bonito, uma beleza profunda..diagonal.

Gostei muito, tamires..muito mesmo.

Gabi♥
http://fatiamos.blogspot.com.br/

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •