Subscribe:

quinta-feira, dezembro 27, 2012

QUE AUDÁCIA, FACEBOOK.

E o facebook veio me perguntar: "Como vai, Tamires?"

E pela primeira vez, eu não soube responder uma pergunta tão simples como essa. 
Não sei como vou, nem sei, na verdade, se vou. 
Se vou, vou pra onde? Vou com quem? 
Vou à pé, vou de avião ou vou de trem?

Nem tenho andado direito
Se não ando, não posso chegar
Se não chego, não me encontro em nenhum lugar
Ou no meio do nada
No deserto do Saara
Em frente ao mar.

Sei que quando eu chegar
Talvez possa responder
Essa pergunta que o tal sujeito Facebook veio me fazer
Mas por enquanto, não sei não
Nem sei o que dizer
Vamos continuar escrevendo versos tolos
Versos que ninguém vai ler.

Sr. Facebook, com que audácia o Sr. vem perguntar da minha vida?
De como eu vou
Do que está acontecendo
E como estou me sentindo
Deu de psicólogo agora?
Daqui a pouco me chega a conta
A conta dessas suas perguntas marotas
Que nem sei como vou pagar
Aí vai me bater o desespero
O que é que o Sr. vai me perguntar?
"Quando sai seu pagamento, Tamires?"

É vai chegando um novo ano
E eu aqui a me questionar
Tanta, mas tanta coisa que nem sei por onde começar.

Mas pra começar, vou me questionar do porquê estou divagando sobre uma pergunta de uma rede social.
Acho que é mania de poeta
Ver tema até no que não há
"E aí Facebook, como você está?"

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Mamãe no Face - Zeca Baleiro

2 comentários:

Selmitcha disse...

Que lindoooo!! É incrível como você tira inspiração de algo tão cotidiano, tão simples...
É incrível saber que ainda existem pessoas como você, que vêem poesia por todo o lado, que enxergam sentimentos e emoções até nos seres sem vida!! Os quais ganham vida em textos como os seus, que ao menos a mim, me fazem muito feliz!
É um prazer visitar esse blog sempre que posso, é um orgulho pra mim dizer que te sigo, e uma felicidade ainda maior saber que meu blog teve a honra de receber sua visita, e pode ser seguida por você! Beijos, Selmitcha...

B. disse...

"Acho que é mania de poeta
Ver tema até no que não há". Pois, agora você falou tudo. AO longo do texto, você ressaltou bem como é ser escritor ou poeta, é se questionar o tempo todo, até de coisas triviais como esta. Mas são coisas, que nos inspiram a escrever, a mostrar os nossos pensamentos loucos. Adorei!

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •