Subscribe:

domingo, fevereiro 17, 2013

UMA CARTA

Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 2013, domingo.

Bom, isso é uma carta, não importa pra quem seja. Apenas uma carta.

Eu gostaria que soubesse que eu nunca quis que as coisas terminassem desse jeito. Eu nunca quis mesmo. Sei que nem sempre fui a melhor pessoa do mundo pra ti, aliás, nunca passei perto, é verdade.

Devo reconhecer que cometi um milhão de erros com você. Mas deves reconhecer também teus erros para comigo. Todos nós erramos, somos humanos, é da nossa natureza.

Eu compreendo que nem sempre você pôde estar presente, compreendo que você devia trabalhar e se esforçar para manter as coisas funcionando. Compreendo, compreendo sim, por mais irônico que possa parecer. Mas acho que VOCÊ deve compreender que não tem como existir amor, sem convivência, sem afeto, sem carinho.

Nossa vivência como família, nunca foi das melhores, mas tente entender, que por mais estúpida que eu fosse, eu não quis que as coisas chegassem à esse ponto. Simplesmente aconteceu. Foi somado os meus erros, os teus erros, os nossos erros. E tudo isso aconteceu, acho que de uma das piores formas possíveis.

Devemos agora, nos conformar e conviver com isso enquanto a calmaria não vem. Acho que um dia, talvez, você possa me perdoar, eu te perdoar e quem sabe a gente não toma uma cerveja? Mas não por enquanto. A batata ainda está quente demais pra gente continuar "brincando". Nós fomos longe demais. Fomos longe demais como seres humanos, como pais e filhos, como pessoas. Nós ultrapassamos os limites e nos magoamos. Nos magoamos muito. Não foi só você quem se feriu. É uma guerra sem razão. Por simples descuido, por simples falta de vontade de ambas as partes. Eu espero que um dia ela termine. Eu espero que Deus possa nos perdoar pelas coisas que dissemos um pro outro.

É, apesar de todas as coisas, eu não te desejo mal e contrariando o que você disse, não, eu não estou te jogando uma praga. Desejo muito que você passe por isso e que tudo nas nossas vidas se resolva de forma que nos agrade. Espero muito que você tenha, um dia, o amor que você não teve de mim. Seja de um filho, um neto, um sobrinho ou apenas uma criança qualquer. Espero também que você encontre um outro amor. Um outro amor que lhe corresponda e te faça feliz, que te faça renascer as borboletas no estômago, aquelas que você perdeu no meio do seu trabalho e das suas preocupações. Espero que você recupere também os teus sonhos, aqueles que foram esquecidos há tanto tempo atrás. Enquanto você se preocupava com as contas do mês. Quero que você tenha dinheiro, nem muito, nem pouco. Muito dinheiro trás preocupações demais e você já esquentou muito sua cabeça. Então, que você tenha apenas o suficiente para ter uma vida confortável, estável e pra você se divertir às vezes. Não te desejo um carro do ano ou uma mansão. Isso é coisa demais. Como já disse antes: "grandes coisas exigem grande responsabilidade" e você tá precisando apenas descansar um pouco sua mente.

Bom, desejo que você realize os demais sonhos que eu desconheço e que você possa encontrar um hobby (dos milhares que você já teve) que te complete, te faça sentir bem. Já tentou pintar? Enfim. Se quiser, pode acreditar nisso tudo. Se não quiser, pode continuar achando que é ironia da minha parte. Que é uma praga ou sei lá o quê.

Só desejo realmente, que as coisas se acertem e que um dia, todo esse ressentimento se acabe.

Sem mais...

Com carinho, Tamires Alci.

0 comentários:

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)

  •