Subscribe:

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

CHÁ DAS CINCO

E de repente eu tava lá
Na varanda do castelo
Tomando chá
Com a rainha e Napoleão
E me ocorreu um pensamento leve
Mas isso são outros quinhentos.

A gente tava só
Mas não estava sozinho
Estávamos esperando Joana d'Arc chegar
Como não era muita novidade
Estava atarefada com aquelas coisas do lar:
Lavando louça, roupa...
Ligou, dizendo que já ia chegar.

Era fim de tarde
E tava fazendo um calor que ensandecia a rainha
Arretada do jeito que é, se abanando com a toalhinha.

Eu disse: Isso não devia ser uma reunião?
E Napoleão imediatamente retrucou: "Não vai haver reunião alguma se meus neurônios não voltarem a funcionar, tô suspeitando que adulteraram esse chá."
Eu não sei bem o que eles quis dizer, já é adulterado normalmente.
Tanto o chá, quanto Napoleão
Mas não disse isso, soaria indelicado.

Eu não entendi até agora
O porquê de quase tudo no castelo estar quebrado
Vai ver sou detalhista demais
Vai ver eu não devia reparar
E reconsiderar os tempos que vivemos
Já que a nobreza agora não é mais tanta
E nem é pampa.

Vamos deixar pra lá
Joana d'Arc chegou
E poderemos botar a fofoca em dia.

Um beijo de fim de filme
Para toda a nostalgia.

domingo, fevereiro 17, 2013

UMA CARTA

Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 2013, domingo.

Bom, isso é uma carta, não importa pra quem seja. Apenas uma carta.

Eu gostaria que soubesse que eu nunca quis que as coisas terminassem desse jeito. Eu nunca quis mesmo. Sei que nem sempre fui a melhor pessoa do mundo pra ti, aliás, nunca passei perto, é verdade.

Devo reconhecer que cometi um milhão de erros com você. Mas deves reconhecer também teus erros para comigo. Todos nós erramos, somos humanos, é da nossa natureza.

Eu compreendo que nem sempre você pôde estar presente, compreendo que você devia trabalhar e se esforçar para manter as coisas funcionando. Compreendo, compreendo sim, por mais irônico que possa parecer. Mas acho que VOCÊ deve compreender que não tem como existir amor, sem convivência, sem afeto, sem carinho.

Nossa vivência como família, nunca foi das melhores, mas tente entender, que por mais estúpida que eu fosse, eu não quis que as coisas chegassem à esse ponto. Simplesmente aconteceu. Foi somado os meus erros, os teus erros, os nossos erros. E tudo isso aconteceu, acho que de uma das piores formas possíveis.

Devemos agora, nos conformar e conviver com isso enquanto a calmaria não vem. Acho que um dia, talvez, você possa me perdoar, eu te perdoar e quem sabe a gente não toma uma cerveja? Mas não por enquanto. A batata ainda está quente demais pra gente continuar "brincando". Nós fomos longe demais. Fomos longe demais como seres humanos, como pais e filhos, como pessoas. Nós ultrapassamos os limites e nos magoamos. Nos magoamos muito. Não foi só você quem se feriu. É uma guerra sem razão. Por simples descuido, por simples falta de vontade de ambas as partes. Eu espero que um dia ela termine. Eu espero que Deus possa nos perdoar pelas coisas que dissemos um pro outro.

É, apesar de todas as coisas, eu não te desejo mal e contrariando o que você disse, não, eu não estou te jogando uma praga. Desejo muito que você passe por isso e que tudo nas nossas vidas se resolva de forma que nos agrade. Espero muito que você tenha, um dia, o amor que você não teve de mim. Seja de um filho, um neto, um sobrinho ou apenas uma criança qualquer. Espero também que você encontre um outro amor. Um outro amor que lhe corresponda e te faça feliz, que te faça renascer as borboletas no estômago, aquelas que você perdeu no meio do seu trabalho e das suas preocupações. Espero que você recupere também os teus sonhos, aqueles que foram esquecidos há tanto tempo atrás. Enquanto você se preocupava com as contas do mês. Quero que você tenha dinheiro, nem muito, nem pouco. Muito dinheiro trás preocupações demais e você já esquentou muito sua cabeça. Então, que você tenha apenas o suficiente para ter uma vida confortável, estável e pra você se divertir às vezes. Não te desejo um carro do ano ou uma mansão. Isso é coisa demais. Como já disse antes: "grandes coisas exigem grande responsabilidade" e você tá precisando apenas descansar um pouco sua mente.

Bom, desejo que você realize os demais sonhos que eu desconheço e que você possa encontrar um hobby (dos milhares que você já teve) que te complete, te faça sentir bem. Já tentou pintar? Enfim. Se quiser, pode acreditar nisso tudo. Se não quiser, pode continuar achando que é ironia da minha parte. Que é uma praga ou sei lá o quê.

Só desejo realmente, que as coisas se acertem e que um dia, todo esse ressentimento se acabe.

Sem mais...

Com carinho, Tamires Alci.

sábado, fevereiro 09, 2013

EI, MÃE

Ei mãe
Você que sempre sabe de tudo
E sempre cuidou dos meus machucados
Arruma um band-aid pro meu coração.

Ei mãe 
Não quero ser chata
Sei que já estou grande demais
Mas arruma um xarope que cure essa saudade
Que me mate a vontade de a todo tempo estar junto.

Sabe mãe
Tu tens visto meus esforços
Tu tens visto que às vezes eu pareço estar bem
Mas mãe, tu me conheces
Tu me conheces mais que eu
Mais que ninguém
Tu sabe mãe...

Tu sabe que quando chega à noite
Eu choro sozinha antes de dormir
Tu sabe que eu tenho medo
Tu sabe que no fundo, eu nunca deixei de ser a garotinha que corria pros teus braços quando ralava o joelho
É mãe...Não existe Merthiolate pro coração.

Mas não tem problema
Não tem problema não
Eu pego uma caneta, um papel, faço umas rimas
Da cor do céu
Depois eu pego o violão
E toco as únicas notas que sei tocar
Vê se a canção ficou boa...

Eu tenho me escondido atrás das lentes dos óculos
Mas elas não disfarçam nada
São tão transparentes quanto eu.

Ei mãe
Me traz de volta
Traz meu outro eu.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Terra de Gigantes - Engenheiros do Hawaii


quarta-feira, fevereiro 06, 2013

EU TENHO AQUI...

E num é que é mesmo assim?

Eu tenho algumas fotos aqui
Fotos sem álbum
Sem bordas, sem margem
Sem margem de volta
Nas margens do mar
À beira de um ataque de nervos.

Eu tenho aqui
Algumas revistas velhas
Falaram tanto de tudo
E não falaram de mim.

Aqui eu tenho
Um toca-discos 
Uns vinis velhos que ainda funcionam
Vamos escutar?
-Escutar?
-É, escutar e dançar ao som de Elvis Costello...Que tal?

Eu tenho aqui um muro 
Um muro sem Berlim
Um muro de lamentações
Sem estar no seu devido lugar.

Eu tenho aqui, uma cama
Uma cama de casal
Sem lençol
Sem casal.

Aqui eu tenho
Uns trocados
Uns 10 reais
Pega, compra uma passagem e vem pra cá.

Eu tenho aqui
Uma garrafa de vinho do porto
Só não tenho as taças
Você se importa de beber no gargalo?
Acho que não...

Eu tenho aqui
Um lugar vago no sofá
E é tudo que eu tenho pra oferecer.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora:She - Elvis Costello


terça-feira, fevereiro 05, 2013

SABE O QUE EU PENSO?

Sabe o que eu penso?
-Que existe muita lente de contato por aí...
Lente de contato
Sem contato
Só lente
Só mente
Somente.

Muita máscara que não cai depois do carnaval
Que virou Carnatal
Carnaverão
E até carnapáscoa.

É muita gente que fala por não saber o que dizer
E gente que escuta sem entender.

Sabe o que eu penso?
-Que existe muita lente por aí...
Lente de câmera que fotografa bunda
E perde o foco.

Mas é assim mesmo
Umas três latas de cerveja
Samba
Multidão
Que mais um ser humano poderia querer?

Sabe o que eu penso?
-Que exite muita lente por aí...
Lente de óculos embaçada
Que ninguém limpa e ninguém quer limpar.

A merda já foi jogada no ventilador
Todo mundo para pra olhar
"Vamos, vamos que a sujeira começou a feder"

-Alô, é da pizzaria Brasil?
-É sim
-Eu gostaria de fazer um pedido...
-Sim senhor, pode dizer.
-Uma tamanho família de sabor "vergonha na cara" com bordas de "respeito" e um refrigerante "Bom cidadão". Por favor.
-Okay, senhor. Onde entregamos?
-Não precisa entregar não. É presente pra vocês
[...]
-Obrigada senhor, já estamos solicitando o seu pedido.

(Tamires Alci)

•Ouvindo Agora: Flor Da Pele - Zeca Baleiro

sábado, fevereiro 02, 2013

BOM CARNAVAL

"E vai chegando fevereiro
A gente fica assim
Alegre, festeiro
E esquece o quanto a vida pode ser ruim"

É, esse meu Brasil brasileiro, que só me apavora cada vez mais. Que ignora seu povo, suas leis, suas verdades. Ah, esse meu Brasil, esse meu Brasil que só esse ano já teve tanta tragédia. Tragédias grandes, de proporções bíblicas até. Enchentes e mais enchentes, incêndios, mortes em hospitais devidas à certos medicamentos. 

Esse meu Brasil é um país muito irreverente, eu diria. A gente passa por tudo isso, fica comovido, fica emocionado, fica pensando: "e se fosse comigo?". Daí a gente respeita, pára e faz minutos de silêncio. Mas no fim do dia, estamos todos bem novamente. No fim da semana, ninguém se lembra de mais nada, afinal o episódio de sábado da novela está IMPERDÍVEL. Parece que a Morena foi sequestrada de novo, que será que vão fazer com ela? E de manhã, a lavagem cerebral já está no estágio de 100% e nós aprendemos novas receitas com a Ana Maria, receitas pra adoçar nossa vida, que já foi recheada de tanta amargura, não é mesmo?

Ahhhh sim, por falar em esquecer. Estava quase me esquecendo de falar do CARNAVAL. 

Ahhh o carnaval, cheio de bundas rebolativas e peitos que quase pulam da tv. Ahh o carnaval de tanta gente seminua, tanta gente cheia de costura cultura. Tanta gente que adora representar o Brasil (leia-se auto-propaganda).

O carnaval é mesmo uma festa muito bacana, vocês não acham? Todo mundo se fantasia(ou fica pelado), enche a cara, transa com 10 numa noite e pega uma DST. Bacana pra caralho, né? Todos ficamos tão ansiosos por esse período do ano em que podemos nos "libertar". Todos ficamos tão felizes, afinal os sorrisos são quase pregados em nossos pobres rostos. E quem não gosta de carnaval? Quem não gosta de carnaval deve estar doente, deve ter certo tipo de problema, deve ser um indignado com a vida...É verdade, afinal, quem não adoraria ficar bêbado e caído no chão feito mendigo?

E é justamente para o carnaval que são concedidos milhões e mais milhões às escolas de samba. Só na série B, são concedidos 4,5 milhões para CADA escola. Dinheiro esse que vai pras alegorias, fantasias, artifícios...Para que tudo seja bem bonito e impressione os gringos. Tudo bem que, nesses 4,5 milhões são pagos funcionários, costureiras, ajudantes...É verdade sim, são gerados muitos empregos. Mas eu te pergunto: E A EDUCAÇÃO?

A gente tem tanta verba pro carnaval e não tem verba pras escolas públicas, não tem verba pros hospitais, não tem verba pra nada...Gente, isso me assusta hahahahahaha. Mentira, nem me assusta mais.

Isso assusta esse povo louco aí dos direitos humanos, que vive fantasiando que UM DIA o Brasil será um país igual e justo, que todos vão ter comida, lar, educação e saúde. Quem vive de realidade, sabe bem que a história não é assim.

Enquanto os políticos forem políticos, eles vão roubar. Enquanto eles roubarem, não teremos verbas pra educação e saúde. Enquanto não tivermos educação e saúde, continuaremos assistindo tragédias...E enquanto continuarmos assistindo as tragédias, ahhh...Ainda vai haver carnaval pra gente ficar feliz e esquecer de tudo outra vez.

Eu fico com os meus filmes, um copo de vinho e um sofá. 

Aproveitem as DST'S, quero dizer...O carnaval.

(Tamires Alci)





sexta-feira, fevereiro 01, 2013

98 NOVAMENTE

Um fundo azul
Uma caneta verde
Fones de ouvido sobre a mesa
Um jornal velho
Tudo muito empoeirado
Mal cuidado.

Na sala, as cortinas balançam
Cortinas amarelas-bucólicas
Sem dó de ninguém
Feito flores carnívoras que devoram um coração
Ou uma mosca.

Flores carnívoras
Enviadas em forma de buquê
Com bilhete bonito
Pra te deixar sem saber o que fazer.

E as cortinas continuam à balançar
Tremular, pra ser mais exato
Exato momento em que os ponteiros do relógio pararam
Agora: 17:17:17
Estranho né?
Estancaram o sangue negro que escorria de suas pobres engrenagens.

Está tudo tão parado
Até o rádio tem um ar retrô-terror
Decidi não ligar.

Está tudo tão parado
Resolvi cantar
E cantando fiz café de coador
Num bule velho.

Sentei numa poltrona suja, não velha
Tomei meu café numa xícara velha, não suja
E senti-me amarguradamente velha em meio à tanta solidão
Tanto abandono
Haviam revistas pelo chão
Eu li, enquanto tomava meu café

"Desabamento em parte do Condomínio Palace II"

E de repente, eu estava em 98, novamente.

•Ouvindo Agora: O Astronauta de Mármore - Nenhum De Nós
  •