Subscribe:

segunda-feira, agosto 26, 2013

MIMO

E ele chegou mais perto

Se aconchegou no meu peito
Como se fosse o melhor travesseiro
Sentiu meu perfume
Respirou meu ar
Respirou a mim
Seu amor, seu lar.

Me deu um beijo
E boa noite
Se reaconchegou no meu peito
Feito um menino
Uma criança que precisa de proteção.

Valente que só
Alguém que aguenta tantas cobranças
Imagina eu, compará-lo a uma criança?

Mas enfim é
E porque é
Não aceita ser
E faz cara de durão
Valente que só
Mas só encontra conforto ali
Deitado no meu peito
Ouvindo meu coração.

Eu cantei pra você dormir
Aquela
A que você chorava ao ouvir
"Deixa eu mimar você
Adorar você
Agora só agora
Porque um dia eu sei
Vou ter que deixá-lo ir..."

E antes que eu terminasse de cantar
Você dormia
Dormia um sono tão tranquilo
Tão ingênuo
Que eu não aceitaria que meu corpo fizesse qualquer movimento que pudesse te acordar.

Antes de amanhecer
Você teve de ir
Pra mais uma semana difícil
Eu sei
Mas antes que se possa ver
Você vai voltar
E eu?
Ficarei aqui, como todas as noites
A te esperar.

(Tamires Alci)

-Ouvindo Agora: Só Agora - Pitty

quinta-feira, agosto 22, 2013

CONFISSÕES DE ESCRIVANINHA

Confissões de escrivaninha são sempre as melhores
Cheias de sí
De mim
De pormenores.

Cheias de detalhes
De rimas
E de choro.

Que às vezes nem choro é
Mas passa a ser
Pra rimar com a dor
Pra parecer que se perdeu a fé.

Confissões de escrivaninha
São sempre cheias de sinceridade
De vontade
De verdade
E até de falsas verdades
(Não leia-se mentiras)
Falsas metades.

Confissões de escrivaninha
São sempre assim
De um jeito meio sem jeito
Meio torto
Meio desfeito.

Mas as confissões de escrivaninha
Sempre escondem uma vergonha de falar
De chorar, de abraçar, de desabar
Desabar em braços
Que só quem escreve, pode imaginar.

Confissões de escrivaninha
Nem sempre rendem bons poemas
Mas rendem bons fins de tarde
E rendem um café doce.

Melita 102
Deixa os cadernos, os livros e a escrivaninha pra depois
Toma esse café e vem logo me abraçar
Fica na ponta do pé
E faz meu mundo girar mais devagar.

(Tamires Alci)

SELO AMIGOS DE INVERNO

Fazia tempos que eu não recebia um selo. Anos até, mas é com muita gratificação que posto aqui o selo com que o amigo, Samuel Avner do blog Rabiscos de Realidade me presenteou.


Selo Amigos de Inverno

Seguindo a regra do selo, vou tentar responder algumas coisinhas sobre mim, a alma que escreve esse blog há tanto tempo. Engraçado sabe, receber um selo desses, eu achava que ninguém mais lia as besteiras que escrevo. Mas fico feliz de saber, que ainda tem frequentadores esse meu diário.

11 Coisas sobre a dona do blog:

-Tenho 20 anos. Sou do Rio de Janeiro, mas estou em Fortaleza por amor. Sagitariana, flamenguista e fanática por massas.

-Detesto fanatismo, seja pelo que for.

- Católica.

- Toco violão nas horas vagas. 

- Já fiz um período da faculdade de turismo, mas não gostei.

-Não como fígado, jiló, beringela, batata doce, jaca...argh.

-Não gosto muito de café, mas sempre rende bons poemas.

-Meu número preferido é 8.

- Escuto todo tipo de música, menos funk e axé.

- Já li mais de três vezes "A Menina Que Roubava Livros"

-Ajo de forma impulsiva algumas vezes.


Acredita em vida após a morte?
-Sim

Gosta de estudar?
-Apenas o que me interessa.

Quais suas cores favoritas?
-Preto, branco, rosa, vermelho...

O que mais gosta de fazer?
-Passear na orla, escrever, conversar, ouvir música, ver filmes...

Uma realização?
-No momento a volta pra casa. Cursar minha faculdade, passar pra Esfcex, casar, ter filhos e uma estabilidade.

Comida predileta?
-Dúvidas entre lasanha, bobó de camarão e pizza.

Um hobby?
- Escrever.

O que você escreveria se só houvesse uma folha de papel no mundo e ela estivesse com você?
- A mais linda declaração de amor de todos os tempos

Com quem você quer passar agarradinho no cobertor esse inverno?
- Com meu amor, Marcos Vinícius.

Indicando os blogs, deixo claro aqui que os indicados sintam-se à vontade de responder ou não as perguntas, ok?


Não vou indicar os 11, porque os que eu mais leio são esses dois aí. Então, é isso!


terça-feira, agosto 13, 2013

O QUE É AMOR?

E é por amor 

E pelo amor que tudo faz sentido.

É o cheiro do outro
É o abraço
É a falta que faz.

Amor é o céu azul
A areia
E o mar
Amor é toda vida dentro do oceano 
Da terra
Do universo
Amor é a vida
A vida num verso 
E todos os seus reversos.

Amor é a música que toca no rádio
É os acordes no violão
E é em sí, seu próprio violão
Suas cordas
Seu acústico
Sua imensidão.

Amor é calor
Calor que transborda até mesmo no frio
Calor que que preenche vazios
Que preenche ambiente
Que preenche espaço
Que, às vezes, de tanto preencher
Preenche um outro ser
E nova vida se forma
Não te disse que amor era vida, hein?

Amor é lente
Lente de óculos
De binóculos
De Câmera.

Da câmera que capta sorrisos
Que capta lugares
Que capta sentimentos
Que no fim de tudo, capta a mesma coisa
O amor
Em todas as suas formas
Mesmo que disformes algumas vezes
Mesmo que irreconhecível
Mesmo que disfarçado.

Amor é o frasco de perfume na penteadeira
Os sapatos, lado a lado
Os livros na prateleira.

Amor são os filmes na estante
É o meu universo
O nosso universo
É depois e, ao mesmo tempo, é antes.

Amor?
Amor é fim de tarde
É cafuné
Amor que é amor
Faz até cosquinha no pé.

Amor é abraço
É laço que não se desmancha
Que não se desfaz.

Amor é poesia
É verso escrito de caneta
É rasura, é sublinhado e é negrito
Amor é verso sim
E olha que é verso bonito.

É verso que enche os olhos
Que inspira
E transborda o coração
Amor preenche folha
Em forma de carta, de poema, de canção.

Amor é verso
Verso inverso
Do que às vezes se pensa ser
Mas no fim de tudo
Verso de universo é mesmo amor
Sem tirar
Nem pôr.

(Tamires Alci)



Ps. Abaixo um vídeo que fiz, em homenagem à um ano de namoro com o meu amor. Marcos, te amo muito <3


  •