sexta-feira, 15 de maio de 2020

Diário da Pandemia - Dia ??? - 15/05/2020

Já não sei em que dia da pandemia estamos, são quase dois meses de isolamento e as notícias não são das melhores.

Escrevo para que fique registrado o momento de crise pelo qual estamos passando. Essa última semana foi bastante assustadora. O número de mortos em nosso país só aumenta, nos últimos dias por volta de 700-800 mortos a cada 24hrs. O sistema de saúde está entrando em colapso. Aqui no Rio de Janeiro, já houve uma carta do Hospital de Anchieta dizendo que não tem recursos para o atendimento de novos pacientes que derem entrada no pronto-socorro e que os mesmos iriam morrer porque o hospital não está recebendo os insumos e as verbas necessárias para seu funcionamento. Sendo assim, nessa mesma carta se exoneram de maneira ética e civil de quaisquer processos relativos à essas mortes iminentes. O Hospital Ronaldo Gazolla não está pagando seus funcionários. Tenho uma amiga que trabalha lá e disse que a situação está crítica. Todos os dias isso é falado no jornal. Os hospitais de campanha parecem nunca ficar prontos, além do desvio de verbas que foi noticiado no jornal de ontem.

Hoje, dia 15/05, o novo ministro da saúde (que tomou posse do cargo há menos de um mês) renunciou por divergência com o presidente.

Por falar em presidente, esse anda completamente maluco. São tantas declarações infelizes que eu só consigo imaginar que antes de dormir ele deve pedir a Deus criatividade para falar a merda do dia seguinte. E mau-caratismo, é claro. Os noticiários só falam sobre ele e coronavírus. No último sábado, em meio ao aumento do número de mortos no país, em meio ao colapso do sistema de saúde, nosso excelentíssimo andava de jet-ski e afirmou que faria um churrasco. É de cair o cu da bunda, eu sei. Se eu não tivesse visto com meus próprios olhos, jamais acreditaria que o líder de um país fosse tão cruel e estúpido.

Fui demitida, como milhões de brasileiros em meio à esse caos. Entendo que a economia é um dos pilares mais importantes de um país, mas não existe economia se a população não estiver saudável pra trabalhar. Não existe economia se continuarmos na casa de centenas de mortos todos os dias.

"Se fosse por mim, teria feito igual na Suécia, não fecharia nada" - Jair Bolsonaro

A Suécia é um dos países com o maior número de mortos em relação aos países vizinhos, por não ter adotado as medidas necessárias de isolamento social. Imagina o estrago que teríamos no Brasil?

Estamos entregues à própria sorte, mas como dizem que Deus é brasileiro, acredito que mais cedo ou mais tarde, voltaremos a ficar bem.

Diário da Pandemia - Dia ??? - 21/04/2020

E lá vamos nós...

Nunca pensei em toda a minha vida que ouviria um presidente dizer "eu sou, realmente, a constituição". Isso é insano, é repugnante, é surreal.

Eu verdadeiramente não consigo mensurar o impacto que essas palavras, ditas com tanta naturalidade pelo, até então presidente dessa república de bananas, me causaram. Não só a mim, creio que a todo mundo que tenha massa cinzenta dentro da caixola e a quem estudou o mínimo de história.

Eu só consigo imaginar que estamos vivendo dentro de um pesadelo coletivo, que isso não está acontecendo. Estamos em 2020, em nenhuma hipótese isso deveria acontecer. Ver pessoas pedindo a volta da ditadura e do AI-5 é mais nojento e desumano do que qualquer outra coisa que eu já tenha visto. Vocês, que são a favor do atual presidente e que são a favor desse despautério, ao menos sabem o que é o AI-5? Não, né?! Até porque eu prefiro acreditar que são ignorantes e mau informados do que mau-caráteres natos. Eu prefiro realmente acreditar que vocês dormiram nas aulas de história.

Bom, vamos lá:

- O AI-5 outorgou poderes ao presidente de fechar o congresso nacional

-Censura prévia de cinema, música e TV. Sabe o funk que você gosta de ouvir? Cheio de putaria... Então, não tem mais. Sabe os filmes com críticas sociais que você finge que gosta, pra impressionar as boyzinhas? À lá Coringa... Acho que não amigo. O programa de TV com conteúdo politicamente incorreto que você se amarra e morre de rir... Também não. Você tá de saco cheio de notícias sobre o Coronavírus, né? Então, basicamente te digo que ficaria um pouco pior, até porque, o governo vai selecionar tudo o que você vê e você não pode ter informação suficiente pra ir contra o governo. Livros? Se preparem pra ler faltando um monte de capítulos.

-Prefeito? Governador? Não! Apenas um interventor federal nomeado pra isso e se você é comerciante, trate de obedecer religiosamente tudo que lhe for mandado.

Ahh, mas se não der certo, a gente tira a ditadura também....KKKKKKKKKKKK adivinha? Manifestações contra a ditadura são absolutamente ilegais e torce pra você não ser capturado, meu amigo. Se for... Bem, você pode desaparecer de repente e depois de um tempo, descobrirem que você foi morto e sabe o que acontece ao seu algoz? Isso mesmo! NADA! Ele tá do lado da lei.

Tem mais coisa também. Vocês estão todos agoniados por ter que ficar em casa para fazermos o achatamento da curva do covid, né? Será que vocês se sentiriam bem tendo que obedecer a um toque de recolher?

Sabe esse texto que eu tô escrevendo? Ele poderia ser considerado subversivo e de repente, meus direitos como cidadã poderiam ser suspensos por até dez anos. Ahhh, seu vizinho poderia te denunciar também, caso ele achasse você meio estranho... Sabe se lá o que poderia acontecer com você, não é mesmo?!

Bom, eu não acho que seja uma coisa boa para se por em prática novamente e não, eu não respeito quem admira essa ideia, porém, espero ter elucidado alguns fatos pra que alguns ignorantes que estejam defendendo isso por falta de informação possam ter a chance de vir a mudar de ideia.

É isso!

"E quest'è il fiore del partigiano
Morto per la libertà"

Diário da Pandemia - Dia ??? - 12/04/2020

12 de abril de 2020, domingo de páscoa.

Jamais imaginei que vivenciaria uma experiência parecida com essa. É algo inimaginável, é surreal e é assustador. Eu não tenho outras palavras e hoje, não consigo ver a luz no fim do túnel. Não consigo imaginar quando iremos poder sair na rua sem sentir medo, sem nos sentir ameaçados. Não sei quando poderemos ir ao cinema novamente e frequentar as praças de alimentação dos shoppings. Quando nossa vida irá voltar ao normal? Em setembro? Daqui um ano? Quem sabe...

O fato é que dentro da normalidade ou não, a vida continua. Logo logo as pessoas irão voltar a trabalhar em sua totalidade e talvez também, logo menos, uma vacina seja aprovada. Estamos vivendo a base de "talvez". A televisão reprisa o jogo do pentacampeonato do Brasil sobre a Alemanha. Fórmula 1 com Ayrton Senna e observando calmamente, parece que estamos vivendo uma piada sem graça. Reclamamos tanto de não ter tempo e agora, não queremos tê-lo. Queremos nossos empregos estressantes, queremos voltar a pegar condução, queremos a segurança da louca rotina moderna.

O que me leva a crer, que no meio disso tudo, viramos robôs. Precisamos ter ordens a obedecer, precisamos ter horários, aborrecimentos e tudo mais que reclamamos.

O mundo soma mais de 113 mil mortos e isso só nos mostra o quanto somos frágeis. O quanto somos fracos diante de um inimigo invisível que ninguém sabe realmente como começou. Falam em guerra biológica, criticam os chineses e eu não sei o que pensar e pra ser bem sincera, mesmo que soubesse, iria preferir não opinar.

Os dias e as horas passam e são todos absurdamente iguais. Tem dias que são mais difíceis que outros. Tem dias que a saudade de pessoas especiais bate e é quase impossível controlar, mas seguimos isolados, torcendo pelo fim dessa crise.

No meio disso tudo já não existe romantização. Não existe pessoas melhores depois da quarentena ou talvez exista. Talvez. Talvez um dia isso passe. Mas o medo, esse é certo de ficar marcado pra sempre na história mundial.

Diário da Pandemia - Dia 4

Domingo, 29 de março de 2020

Hoje é domingo, de novo... Acho que todos estamos com essa mesma sensação. Há uns dias não me sinto 100% bem, mas não estou ruim de tudo. Sagitariana que sou, sinto falta de movimento, de ver gente, de pessoas conversando banalidades. Sinto falta de um drinquezinho também, de umas cervejas e conversas despreocupadas, mas isso é assunto pra mesa de bar, pra um outro dia.

Sinto que todo mundo anda um pouco nervoso, um pouco desmotivado. Tanta gente arrumando discussão por política, triste fim.

Hoje a Itália tem mais oitocentos e poucos mortos nas últimas 24 horas. Os EUA são o novo epicentro da doença. Ver os jornais é cortante. Uma sensação de vazio, de impotência, de desamparo. Caminhões frigoríficos na frente de hospitais. Na Espanha, colocam seus mortos empilhados em uma pista de esqui. Meu Deus, eu realmente não consigo ter palavras suficientes pra isso. Familiares que não podem enterrar seus mortos. Todos os dias, no mundo inteiro, milhares de mortos.

Vi uma imagem hoje, o Papa celebrando a missa sozinho e isso me doeu tanto. Não sou católica, mas doeu. As lágrimas vieram aos olhos e a garganta deu um nó.

Se você tá lendo isso, se você tá se sentindo assim, saiba que nós vamos sair dessa.

No mais, saúde, à todos!