segunda-feira, 14 de março de 2011

OVERDOSE

-Por acaso você estava procurando por isso? 
-É, eu estava...
-Eu encontrei ali...
-Ali, ali aonde?
-Ali onde eu perdi o rumo da minha história e comecei a me versificar...


Em qualquer lugar que estou me identifico
Me identifico com a paisagem
Com a chuva
Com o vento
Com o cair da noite
Mas não pertenço a lugar nenhum
E lugar nenhum me pertence.


Sou uma viajante do meu próprio mundo
Sou uma turista sem fronteiras e milhas aéreas
Estou por toda a parte onde eu me interesse
Mas sou infinitamente maior do que eu posso alcançar.


Criei asas com as minhas próprias mãos
Desenhei, escrevi, divaguei, trabalhei, esculpi
E as me dei de presente
E uso-as, da maneira com que escrevo esse poema 
Minhas palavras são minhas asas.


Não escrevo pra agradar o mundo
Sou egoísta
E escrevo para conseguir voar
Escrevo pra agradar meu ego
Escrevo para tocar o meu infinito céu particular.


Sou a minha própria droga
E isso tudo é a extensão de uma overdose de mim mesma
Talvez eu aprenda
Talvez não
Espero não aprender
E continuar vivendo à beira de uma crise de identidade...


Mais uma...


(Tamires Alci)




•Ouvindo agora: Hesitate - Stone Sour

8 comentários:

  1. NOSSA! *-*
    Adorei a forma como você escreve!
    Seguindo mode on ... =]

    ResponderExcluir
  2. bem legal muito legal mesmo
    http://xhdgamersx.blogspot.com/

    quer parceria?

    se quiser so avisar la no meu blog vlw continue Asim vc vai ter sucesso

    ResponderExcluir
  3. muito bom o psot!
    parabens

    Sou cantor e estou divulgando meu trabalho atraz do blog!
    http://edducamargo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Não é fácil opinar poesias, poemas... São pedacinhos da alma, e só quem pode entender a própria alma consegue ver a beleza...

    Eu vi a beleza. E to seguindo... ;)

    http://www.novaquahog.com/

    ResponderExcluir
  5. Eu amei o poema *-* é muito lindo, eu li 2 vezes :)
    Vou te seguir

    Parabéns pelo blog ;)

    ResponderExcluir
  6. Tome vitamina c pra potencializar o efeito do falshback.

    ResponderExcluir
  7. Um trecho da sua poesia me lembrou muito Clarice Lispector, que a propósito, eu admiro demais.
    Sou suspeita pra opinar pois adoro poesias, mas a sua está maravilhosa, são poucas as pessoas que conseguem fazer uma poesia tão rica sem rimas, mas você é uma delas.

    Já estou seguindo!

    ResponderExcluir
  8. Puxa... posso destacar tantas frases maravilhosas e tão significativas:

    "Sou a minha própria droga"

    A frase acima já resume muito do sentimento que eu encontrei no texto, uma(s) coisa(s) que conheço bem, coisas tão difíceis de se dizer e que nem são ditas nunca...

    Bj!

    F.

    ResponderExcluir

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)