sexta-feira, 15 de maio de 2020

Diário da Pandemia - Dia 2

Hoje foi um dia complicado. Sou um ser humano e nesse texto, provavelmente irei fazer alguns julgamentos comportamentais, mas sei que está errado e já peço desculpas de antemão a quem me lê.
 
Segunda-feira fomos ao trabalho de carona, pois os meios que eu conhecia eram completamente inacessíveis, porém a mesma pessoa que deu carona a mim e mais três meninas do trabalho não tem como arcar com esse custo diário sem a ajuda da empresa, devido a isso, a mesma foi recomendada a não se utilizar mais desse meio. Portanto, ficamos todas aparentemente sem alternativa.
 
Terça de manhã, ao olhar o whatsapp, vejo que uma das meninas que estava no carro fez um verdadeiro bundalelê pra chegar a empresa. Utilizando-se de 4 passagens e passando por áreas perigosas (devido as ruas estarem desertas) para chegar. Porém, a mesma chegou. Em nenhum momento comunicou as outras que tentaria fazer tal rota ou perguntou se gostaríamos de encontra-la em algum lugar para irmos juntas (o que estávamos fazendo) julguem como quiser. Essa atitude prejudicou todas as outras meninas, que tiveram que fazer o mesmo bundalelê, colocando sua vida e saúde em risco. Avaliem essa situação como quiserem. O fato aqui não é pessoal. É questão de bom senso somado a empatia. Se ela saiu de casa e conseguiu chegar ao trabalho, mesmo sabendo que foi um trajeto perigoso, todas as outras tiveram que fazer o mesmo. Da minha parte, assumo que achei um puta egoísmo, mas fui levada a pensar também em outras questões e decidi que o melhor a se fazer era não fazer e nem achar nada sobre isso.
 
Eu tive que ir ao médico hoje, já tinha uma consulta marcada e tive diagnóstico de infecção urinária. A recomendação médica foi ficar em casa, a orientação da empresa, por hora é a mesma.
 
Hoje subiu para 46 o número de mortos em território nacional. 40 em SP 6 no RJ. Não sou especialista em dados, mas acho que se seguirmos isolados e nos cuidando, podemos nos sair melhor que a Itália, mesmo tendo uma população bem maior.
O presidente, se é que ainda devo chamá-lo assim, fez um discurso em cadeia nacional, contradizendo todas as recomendações do ministério da Saúde. Questionando o fato das escolas estarem fechadas, já que o grupo de risco (+60) não frequenta a escola. Questionou também o fechamento de shoppings, disse que em breve descobriremos que fomos enganados pelos governadores dos estados a respeito da covid e como se não bastasse, ainda afirmou que pelo seu "histórico de atleta" se pegasse o tal vírus, não passaria de uma gripezinha, um resfriadinho...
 
Achei que o maior vilão dos últimos tempos, no Brasil, seria a Covid-19, acho que estive enganada.
Algumas pessoas seguem defendendo essa linha de raciocínio absurda e o pior é que são pessoas de classe média baixa, que no máximo, tem um mercadinho de bairro e acham que quando o Bolsonaro fala "estou do lado dos patrões" está falando dele.
Misto de vergonha e impotência.
 
Seguimos de quarentena, até segunda ordem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

•Expresse sua opinião de forma coerente
•Respeite os outros leitores
•Nada de palavrões
•Sem ofensas
•Evite escrever com o CAPS LOCK ligado
•Evitexx excrever axim também (Obrigada)
•Volte Sempre! :)